Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

PRESIDENCIÁVEL

Pré-candidato à presidência, Sergio Moro fala em entrevista exclusiva para o Diario

Publicado em: 02/12/2021 07:16

 (Foto: Saulo Rolim)
Foto: Saulo Rolim
Uma das quatro capitais brasileiras escolhidas, sendo a primeira do Nordeste, Recife receberá no próximo dia 5 a visita do ex-ministro da Justiça Sergio Moro para o lançamento de seu livro Contra o Sistema da Corrupção, evento que acontecerá no Teatro RioMar, às 18h. Tendo dito, em 2016, que não se via “ainda como um político verdadeiro”, hoje Moro aparece como aposta do Podemos para a corrida pela Presidência da República em 2022, pontuando em 3º lugar nas pesquisas eleitorais, ficando por enquanto atrás, respectivamente, do ex-presidente Lula (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em entrevista exclusiva ao Diario de Pernambuco, concedida ontem à tarde por meio do Zoom, o ex-juiz falou sobre suas propostas e projetos que estão sendo construídos para disputar as eleições do ano que vem. Governo Bolsonaro, economia, combate à pobreza, reformas e planos para o Nordeste, entre outros assuntos.
 
Entrevista // Sergio Moro
Pré-candidato à presidência 
 
Livro
Vou estar no Recife, no dia 5 de dezembro, para o lançamento do livro Contra o Sistema da Corrupção. Recife está entre quatro capitais para fazer o lançamento, que deve ser retomado no próximo ano. Não é uma autobiografia, mas vai conter relatos tanto do período da Lava-Jato como do Ministério da Justiça.

A política
Muita gente me provocava. ‘Coloque seu nome à disposição, sei que você nao pensou nisso, mas tem uma chance. Vamos colocar alternativas para os eleitores’. Acabei decidindo colocar meu nome. E a gota d’água, eu disse isso no meu discurso de filiação, mas é um episódio real, foi uma palestra que fui dar no interior, e no final dessa palestra fui abordado por diversos estudantes e um rapaz com pouco mais de 20 anos perguntou pra mim: ‘Moro, é verdade que você abandonou o Brasil?’, e aquilo pra mim, embora eu seja conhecido como uma pessoa firme, foi como um tiro no meu coração.

2022
Vim ao Brasil para apresentar junto ao Podemos um projeto para que nós possamos ter melhores alternativas para o próximo ano, resgatar os sonhos que nós perdemos. Apresentar uma proposta racional que possa ser acolhida pelos brasileiros.

Governo
Entrei no governo por um projeto, não por um cargo ou pelo prestígio de cargo de ministro. Se fosse assim, estava lá até hoje, mas eu tinha um projeto e, quando ele foi comprometido até as últimas consequências, resolvi sair. Agora, estamos reapresentando esse projeto junto com muitos outros.

Economia
Estamos vivenciando uma crise econômica. A alta inflação está depreciando a capacidade das pessoas de comprarem alimentos. Tem também uma possível recessão ou, no mínimo, estagnação econômica para o próximo ano, o que significa também menos emprego e aumento da pobreza.

Projetos
O nosso projeto tem vários aspectos. O primeiro é o aspecto técnico, onde é preciso ter especialistas em políticas públicas para construir juntos um projeto consistente. Então, chamei um dos maiores economistas do Brasil, o Affonso Celso Pastore, e nós estamos coordenando grupos temáticos de trabalhos para discorrer sobre os mais variados assuntos importantes para a vida dos brasileiros. Vamos levar esse projeto para a população, temos que ouvir todo mundo para saber o que as pessoas esperam e rejeitam. Do outro lado, estamos também com o plano de circular pelo país, o que será feito no próximo ano. A outra parte é uma interlocução com o mercado, o que envolve encontros com empresários e com os vários ramos de atividades.

Política liberal
Ter uma política liberal dentro da economia não significa que você não deve ter políticas sociais consistentes. Eu acho que, em um país como o Brasil, você precisa ter políticas robustas: educação, saúde, segurança pública. É preciso um plano muito sério para a erradicação da pobreza. Então, as duas coisas não são incompatíveis.

Diálogo
Temos conversado com vários partidos, parlamentares, agentes políticos com ou sem mandato, tenho muito claro que não é possível fazer projeto de país sem uma construção conjunta com outras pessoas. Não é um projeto meu, é um projeto que estou liderando com bastante humildade ouvindo todas as pessoas.

Nordeste
Estamos conversando com vários agentes e partidos políticos de várias regiões, incluindo o Nordeste. Todos nós somos brasileiros, todas as pessoas merecem a mesma atenção. Sabemos que é imprescindível buscar oportunidades e incentivar maior desenvolvimento econômico na região nordestina, onde existem algumas carências que são importantes de serem supridas. Às vezes falamos dessa região como se fosse separada do país, mas ela é uma parte importante e, certamente, isso se encontra dentro da nossa estratégia para a construção desse projeto.

Combate à pobreza
A ideia é criar uma espécie de força-tarefa de erradicação da pobreza. O formato que estamos pensando, no momento, é uma espécie de agência. Assim como temos agências com missões específicas, a gente quer uma agência nacional encarregada especificamente de ter essa tarefa. Não queremos criar uma estrutura burocrática com novos gastos, mas nesse espírito de força-tarefa trazer pessoas de todos os ministérios, de todas as unidades da federação, os melhores dos melhores para compor essa força-tarefa. O combate à pobreza é uma política de estado, não depende do governante do momento, de partido X, ou de político Y.

Reformas
O novo governo precisa ter uma reforma que gere serviço público eficiente. Muitas vezes esse governo fala em reforma administrativa, mas apenas para reduzir custos e acaba tratando o servidor público como se fosse uma espécie de vilão, não é bem assim. Temos que ter uma reforma que reduza custos, elimine privilégios, mas o principal da reforma do serviço público é buscar qualidade.

Imposto
Nosso sistema de impostos, além de ser alto, é muito confuso. Isso acaba diminuindo o dinamismo da nossa economia. Essa também é uma reforma importante. Esse governo passou três anos e até agora não fez nada em matéria de reforma tributária.

Ética
Algo que é (...) importante é a pauta ética, que está no meu DNA. Outros prometem e não fazem, mas isso eu posso assegurar que faz parte da minha história. Essa pauta ética significa tanto não infringir a lei, mas igualmente fazer as reformas necessárias para que caminhemos na direção certa, ou seja, retomar aquilo que a gente chama de execução da condenação em segunda instância e acabar com o foro privilegiado.

Reeleição
No primeiro semestre de 2023, temos que apresentar uma proposta que elimine a reeleição para cargos no Poder Executivo. Vamos ressalvar governo que tenha sido eleito em 2022 e prefeitos que foram eleitos em 2020 para não gerar resistência política. Se houver uma decisão por 5 anos de mandato de presidente, tem que valer só para o próximo mandatário. Para você ter a credibilidade para fazer essas reformas, a classe política tem que dar o exemplo, tem que apresentar liderança e mostrar que estamos dispostos a abrir mão de alguns privilégios. A reeleição propicia o surgimento de pessoas que se consideram ideias, pessoas que se consideram mitos. E um passo para se tornar caudilhos, populistas ou ditadores se encontra logo adiante.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras (PT), Frederico Menezes e Marlon Malassa
Grupo Diario de Pernambuco