Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

MEDIDAS SANITÁRIAS

Rio de Janeiro pode manter uso obrigatório de máscaras em locais fechados

Publicado em: 10/11/2021 16:13

 (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Tomaz Silva/Agência Brasil
Os dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atualizados hoje (10) às 12h30 indicam que a capital atingiu 71,1% de cobertura vacinal da população com o esquema de imunização completo. A expectativa da Prefeitura do Rio de Janeiro é atingir 75% da população vacinada no próximo sábado. Esse é o percentual que o Comitê Científico de Enfrentamento à Covid (CEEC), composto por especialistas que assessoram a SMS nas orientações sobre a doença no estado, sugeria para a suspensão da obrigatoriedade do uso de máscaras na cidade.

Embora, no mês passado, tenha planejado seguir a recomendação do CEEC, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, sinalizou que pode manter o uso obrigatório de máscaras em locais fechados. “Não sei ainda se eu vou acompanhar o comitê científico, apesar do comitê estar mandando. Provavelmente, a gente deve permanecer com a obrigatoriedade”, disse durante uma live ontem (9), transmitida pelo Facebook.

Paes lembrou que apesar de existirem algumas restrições, a cidade caminha para a liberação de várias delas, a partir de dados do comitê científico. “Estamos caminhando para isso. Acredito que até sábado a gente deve atingir a meta para a terceira fase proposta pelo comitê científico, que é a fase em que se alcança 75% da população total vacinada e imunizada com as duas doses. Aí tem uma série de gatilhos previstos pelo comitê científico, dentre outros, o fim da obrigação da utilização de máscaras em espaços fechados”, comentou.

Conforme os números da SMS, 83% da população maior de 12 anos está com a vacinação completa e nas pessoas maiores de 18 anos o percentual atingiu 90,7%. “Todo mundo que a gente se propôs a vacinar, já temos a vacinação completa em 90% das pessoas. Qualquer país da Europa, Estados Unidos nem se fala, países que vacinaram muito, o Rio está bem na frente. Essa é uma excepcional notícia”, afirmou o prefeito.

Prefeito do Rio, acrescentou que o número de internados, casos graves e óbitos pela Covid-19 está caindo nas últimas semanas no Rio e de ontem para hoje não houve novas internações. “Já tivemos 1.500 pessoas internadas, principalmente, no Ronaldo Gazolla, em Acari [hospital de referência na cidade para a Covid-19]. Nesse momento devemos ter menos de 100 pessoas internadas. Essa também é uma notícia excepcional”.

Sobre a exigência do passaporte da vacina, medida, que segundo ele não agrada a todo mundo, deu resultado positivo.“Uma notícia boa que nem todo mundo gosta. Desde que o passaporte da vacina entrou em vigor, 370 mil pessoas que não tinham tomado a primeira dose se vacinaram. Quer dizer, o passaporte está fazendo o seu papel. Esse era o nosso objetivo”, explicou.

Segundo Paes, o avanço para um cenário melhor da pandemia na capital é fruto da vacinação. “Isso muito objetivamente quer dizer que a vacina funciona, salva vidas. A gente está vivendo uma situação muito melhor, claro, que não quer dizer que a pandemia terminou, a gente ainda vive uma situação de pandemia mundial”, alertou.

Mesmo com um cenário atual melhor, ele afirmou que se houver qualquer mudança nas curvas de incidência da doença, a prefeitura voltará a adotar medidas que sejam necessárias, como está sendo feito em outros países onde os números voltaram a subir. De acordo com Paes, a capital caminha para uma situação de muito conforto. No Hemisfério Norte, conforme explicou, há uma relação direta com a chegada do inverno, o que já ocorreu na cidade, representando o pior período para pessoas contraírem doenças ligadas ao pulmão.

“Estamos entrando [no Rio] no verão, período em geral quando as pessoas ficam menos gripadas. A gente vive um bom momento. Vamos aguardar os 75%. Até sexta-feira, sábado, semana que vem, a gente toma a decisão de fazer aquilo que o comitê científico definiu. O comitê científico para mim é o limite daquilo que a gente pode liberar. Se eu resolver ser mais restritivo, serei mais restritivo, mas a gente está em uma situação muito confortável nesse momento”, disse ao acrescentar que a prefeitura toma as decisões com base na ciência.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Variante ômicron representa risco elevado para o planeta
Candidato à presidência do Náutico, Plínio Albuquerque revela projetos para o clube
Manhã na Clube: entrevistas com Humberto Costa (PT), Bia Villa-Chan e o advogado Lucas Arcoverde
Carnaval: a tragédia anunciada de uma nova onda de Covid-19
Grupo Diario de Pernambuco