Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

EDUCAÇÃO

Parlamentares pedem convocação do ministro da Educação por demissões no Inep

Publicado em: 08/11/2021 19:18

Além do ministro Milton Ribeiro, Frente Parlamentar de Educação da Câmara quer convocar também o presidente do Inep, Danilo Dupas. A duas semanas das provas, servidores do Inep pediram exoneração, alegando que as decisões não são tomadas com base em critérios técnicos (Isaac Nóbrega/PR/Divulgação)
Além do ministro Milton Ribeiro, Frente Parlamentar de Educação da Câmara quer convocar também o presidente do Inep, Danilo Dupas. A duas semanas das provas, servidores do Inep pediram exoneração, alegando que as decisões não são tomadas com base em critérios técnicos (Isaac Nóbrega/PR/Divulgação)

A Frente Parlamentar Mista da Educação na Câmara protocolou, na Comissão de Educação, um requerimento para convocar o ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas. O pedido ocorre após a demissão em massa de funcionários da instituição.
 
Nesta segunda-feira (8/11), 31 funcionários do Inep pediram desligamento de seus cargos; 28 deles trabalham em áreas ligadas ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas da edição 2021 do exame serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro. 

O presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação, Professor Israel Batista (PV-DF), entrou com um requerimento na Comissão de Educação para convocar Milton Ribeiro. O documento ao qual o Correio Braziliense teve acesso também prevê um convite para ouvir esclarecimentos de Danilo Dupas.

“Isso é muito grave, estamos a poucos dias do Enem, temos aí o Enade e outras avaliações importantes prestes a acontecer e é fundamental que a gente tome uma atitude com urgência e convide as autoridades para explicarem o que está acontecendo”, explica Israel. O deputado confirmou que a Frente Parlamentar Mista da Educação terá uma reunião ainda hoje para tentar contornar o problema.

Segundo o ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro, é "evidente” que as demissões traduzem um mal-estar interno na pasta. Ele diz que a realização do Enem provavelmente terá “problemas sérios” como consequência da debandada.

Janine Ribeiro, que ocupou o cargo mais alto do ministério em 2015, diz que a realização do exame é chamada na pasta de “operação de guerra”, em razão de sua complexidade. “(O Enem) Exige uma concentração muito grande com todos os encarregados. Tem toda a complexidade no encaminhamento logístico do material até os lugares, a garantia de segurança e outros fatores”.

Para o ex-ministro as demissões em massa são um indicador da dificuldade pela qual a atual gestão está passando para administrar as suas diferentes dependências. “É um ministério muito grande, complexo, rico em recursos humanos e que precisa ser administrado com muita noção de suas atividades-fim. Então, acredito que essas demissões são um sintoma de que está havendo falha na gestão do MEC”, completa. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Grupo Diario de Pernambuco