Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

DECLARAÇÃO

Governo diz ao STF que jornalistas não foram agredidos na Itália

Publicado em: 25/11/2021 17:17

 (Foto: Marcos Correa)
Foto: Marcos Correa
Em resposta ao Supremo Tribunal Federal (STF), o governo do presidente Jair Bolsonaro afirmou que não houve agressões a jornalistas em Roma, Itália, no dia 31 de outubro, durante visita do mandatário para participação nas reuniões do G20. O ministro do STF Dias Toffoli determinou que o chefe do Executivo se manifestasse sobre as acusações de cerceamento à liberdade de imprensa.

A manifestação se deu por conta de uma ação apresentada pela Rede Sustentabilidade. A legenda pede que a Presidência da República seja obrigada a adotar meios necessários para assegurar o livre exercício da imprensa, além de garantir a integridade física de jornalistas e demais profissionais da mídia, durante a cobertura dos atos de Bolsonaro.

A defesa do presidente salientou que trata-se de uma "narrativa construída". "Não encontra respaldo nos elementos fáticos, vale dizer, não houve nenhum ato realizado, seja pelo Presidente da República, seja pela segurança do GSI que se possa considerar como agressão, sendo a um só tempo desnecessário e inoportuno o atendimento do pleito", disse o governo.

Segundo a ação apresentada, "se porventura houve outros episódios de intimidação ou hostilização por parte de populares e agentes italianos a outros profissionais da área jornalística, tais atos, por óbvio, não podem ser atribuídos às autoridades e agentes públicos brasileiros."

"Se agressão de fato houve, essa não partiu dos integrantes do GSI e, tampouco, do presidente da República, razão pela qual descaracterizado qualquer ato do Poder Público lesivo a preceito fundamental, e prejudicadas todas as alegações de violação à liberdade de expressão, imprensa, bem como a tratados e convenções internacionais sobre o tema", afirmou a manifestação.

As ameaças de Jair Bolsonaro à liberdade de imprensa apontadas pela Rede acontecem desde o início do governo, com ataques verbais. No entanto, episódios de agressões físicas por seguranças da Presidência na Itália na semana passada, durante os eventos do encontro do G20, motivaram o pedido de urgência na Justiça.

Entenda
Após encerrar a sua participação na cúpula do G20, grupo formado pelas 20 maiores economias do mundo, o presidente Jair Bolsonaro retornou à embaixada do Brasil em Roma e fez o seu terceiro passeio improvisado pelo centro da cidade. A caminhada, no entanto, foi marcada pela violência. Jornalistas brasileiros que acompanhavam o presidente relataram agressões por parte da equipe de segurança do chefe do Executivo e de apoiadores.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Laboratório anuncia teste para diferenciar o coronavírus da gripe A e B
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Grupo Diario de Pernambuco