Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

MORO NO PODEMOS

'É mentira dizer que a corrupção acabou', diz Moro sobre Bolsonaro

Publicado em: 10/11/2021 11:47

 (Foto:  Reprodução/YouTube)
Foto: Reprodução/YouTube
Em seu discurso de filiação ao Podemos, nesta quarta-feira (10/11), no Centro de Convenções Ullysses Guimarães, o ex-juiz da Lava-Jato Sergio Moro fez críticas ao governo Bolsonaro e também às gestões petistas. Sem citar nomes, Moro afirmou que é "mentira" dizer que acabou a corrupção, frase dita constantemente pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"É mentira dizer que acabou a corrupção, quando na verdade enfraqueceram as ferramentas para combatê-la", disse Moro antes de ser aplaudido pelos presentes no auditório.

O ex-juiz afirmou também que queria ter permanecido no cargo de ministro da Justiça, mas que o cargo "não valia sua alma", uma vez que o governo federal o impediu de combater a corrupção.

"Queria continuar como ministro, mas infelizmente tive que sair do governo. Queria combater a corrupção, mas para isso precisava do apoio do governo. Esse apoio foi negado. Quando vi meu trabalho boicotado e que foi quebrada a promessa de que o governo combateria a corrupção, de quem quer que seja, continuar nele seria uma farsa. Nunca renunciaria aos meus princípios. Não existe um cargo que valha a alma de uma pessoa."

Moro ainda fez críticas ao desemprego, à inflação e criticou aquilo que chamou de "reformas malfeitas" por parte do governo. Segundo o ex-juiz, mesmo as boas propostas do governo Bolsonaro são acompanhadas de jabutis e pontos para que alguns ganhem vantagem, como no caso da privatização de Eletrobras.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Grupo Diario de Pernambuco