Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÃO

'Defunto enterrado', diz Barroso sobre possibilidade de voto impresso em 2022

Publicado em: 04/10/2021 19:05

 (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Foto: José Cruz/Agência Brasil
A menos de 1 ano das eleições, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou que o órgão tem todo o interesse de preservar a democracia e garantir um resultado transparente. O ministro garantiu confiar no processo eleitoral brasileiro e afirmou que a questão do voto impresso é um “defunto enterrado”. A declaração aconteceu nesta segunda-feira (4), após a cerimônia de abertura do código-fonte das urnas eletrônicas.

"Tenho a impressão de que, depois que a Câmara votou, que o presidente do Senado disse que não reabriria a matéria e que o próprio presidente da República diz que confia no voto eletrônico, acho que finalmente esse defunto foi enterrado”, disse Barroso durante coletiva de imprensa.

Nos últimos meses, o presidente Jair Bolsonaro fez uma série de ameaças ao processo eleitoral, atacando o sistema de urnas eletrônicas e defendendo a volta da impressão do voto. Em agosto, a Câmara rejeitou e arquivou uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que tinha como objetivo o voto impresso em eleições, plebiscitos e referendos.

O próprio mandatário é alvo de um inquérito no TSE que investiga a disseminação de fake news. O pedido é baseado nos constantes acusações, sem provas, feitas por Bolsonaro às máquinas e ao sistema eleitoral do país. O presidente sustenta que as eleições de 2018 foram fraudadas e que a chapa dele teria sido eleita em primeiro turno.

Barroso criticou a postura de Bolsonaro em disparar notícias falsas e incitar atos antidemocráticos entre a população. "Todos viram uma campanha que, de certa forma, criou algum grau de desconfiança nas urnas. O presidente da República, uma liderança nacional, eleito com 58 milhões de votos, falava diariamente com muita frequência contra as urnas, colocando em dúvida a sua credibilidade”, disse.

Combate às fake news
Para 2022, Luís Barroso destacou que um dos maiores desafios da Corte está no combate à disseminação de notícias falsas e propagação de ódio na internet. O TSE decidiu antecipar a abertura de códigos das máquinas para esclarecer dúvidas e garantir transparência. O procedimento estava previsto para abril do ano que vem.

“A desinformação é, hoje, uma das grandes ameaças à democracia. As campanhas de ódio, desinformação, mentiras deliberadas e teorias conspiratórias são um problema e todas as democracias do mundo estão procurando equacionar como lidar com esse problema”, afirma. “Temos que preservar a liberdade de expressão, que foi uma conquista importante da democracia e, ao mesmo tempo, impedir que a mentira deliberada e a desinformação comprometam a democracia”, ponderou.

O código-fonte é um conjunto de linhas de programação de um software, com as instruções para que ele funcione. A abertura permite a inspeção pela sociedade civil. Para a solenidade de abertura, o TSE convidou todos os presidentes de partidos com representação no Congresso Nacional e os 12 integrantes da Comissão de Transparência das Eleições. Também estiveram presentes autoridades eleitorais de entidades como a Organização dos Estados Americanos (OEA), o Idea Internacional e a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore).

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Grupo Diario de Pernambuco