Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

REPERCUSSÃO

Sobre recuo de Bolsonaro, Pacheco diz que 'vai de encontro ao que maioria espera'

Publicado em: 09/09/2021 18:41

 (Foto: Reprodução/TV Senado)
Foto: Reprodução/TV Senado
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reagiu ao novo posicionamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, em relação à crise entre os Poderes. Por meio do Twitter, Pacheco disse que o recuo do mandatário “vai de encontro ao que a maioria dos brasileiros espera” e que é necessário obedecer a Constituição.

“Respeito entre os Poderes, obediência à Constituição e compromisso de trabalho árduo em favor do desenvolvimento do país. É disso que o país precisa e vamos continuar fazendo”, disse na internet.

Nesta quinta-feira (9), Bolsonaro se reuniu com o ex-presidente Michel Temer em busca de soluções para a crise institucional instalada no país, após os ataques contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Depois do encontro, ele divulgou uma declaração afirmando que nunca teve intenção de agredir nenhuma instituição e que os ataques desferidos contra o STF acontecem “no calor do momento”.

Dificuldade com caminhoneiros
Diante das dificuldades para convencer caminhoneiros a cessarem os bloqueios em rodovias federais e em meio a uma crise institucional com o Supremo, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o ex-presidente Michel Temer, nesta quinta-feira, em busca de soluções para os dois empecilhos.

Bolsonaro e Temer almoçaram no Palácio do Planalto e conversaram por aproximadamente quatro horas. O compromisso entre os dois não estava previsto na agenda oficial do chefe do Executivo e foi combinado de última hora. Para garantir que o ex-presidente chegasse rapidamente a Brasília, Bolsonaro enviou um avião da Presidência da República a São Paulo para buscar Temer.

Parlamentares ouvidos pelo Correio acreditam que Bolsonaro foi “longe demais”. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) classificou o gesto do presidente como sendo “ridículo” e afirmou que não vê verdade no novo posicionamento de Bolsonaro. “É uma carta feita pelo ex-presidente Michel Temer que o Bolsonaro aceitou assinar porque ele não tem apoio para dar o golpe que pretende”, disse.

Na avaliação de Izalci Lucas (PSDB-SP), o presidente passou dos limites. “Reconheceu que foi longe demais. Não pode agir no calor da emoção, como ele disse. Toda ação tem uma reação e consequência”, afirmou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Na ONU, Bolsonaro diz ser contra passaporte sanitário
Manhã na Clube: Augusto Coutinho, Laurice Siqueira, Frederico Preuss Duarte e Kaio Maniçoba
Estudante abre fogo e mata pelo menos seis pessoas em universidade russa
Manhã na Clube: entrevista com Anderson Ferreira, prefeito de Jaboatão dos Guararapes
Grupo Diario de Pernambuco