Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

FAKE NEWS

Pacheco decidirá se devolve MP que altera Marco Civil da Internet nesta semana

Publicado em: 12/09/2021 13:31

 (Parlamentares, que argumentam inconstitucionalidade da MP, já pediram ao presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que devolva a medida. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Parlamentares, que argumentam inconstitucionalidade da MP, já pediram ao presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que devolva a medida. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press
O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) indicou neste domingo (12) que deve decidir ainda no início desta semana se devolve ou não a medida provisória (MP) 1.068, que altera o Marco Civil da Internet e torna mais rígida a exclusão de perfis nas redes sociais e a remoção de conteúdos publicados na internet. O pedido de devolução foi feito por alguns parlamentares, que argumentam inconstitucionalidade da MP.

"Nós estamos no trabalho de estudo interno pela consultoria legislativa do Senado, para fazermos a avaliação sobre constitucionalidade ou não dessa medida provisória. Até o início da próxima semana nós temos uma definição a respeito dessa MP", disse Pacheco no evento de celebração dos 40 anos da Fundação do Memorial JK e o 119° aniversário de nascimento de Juscelino Kubitschek.

Sem indicar se a decisão está pendendo para um lado, Pacheco disse que por se tratar de "algo sério", é preciso ter aprofundamento técnico para tomar uma decisão correta. "Vai ser uma avaliação técnica e criteriosa. Há alguns apontamentos relativamente a ela (MP) quanto a eventuais inconstitucionalidades e como se trata de algo muita sério, é preciso ter um aprofundamento técnico de embasamento jurídico para uma decisão correta da presidência do Congresso Nacional", completou.

Na última quinta-feira (9), a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber deu o prazo de 48 horas para que o presidente Jair Bolsonaro, o advogado-geral da União, Bruno Bianco Leal, e o procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifestem e expliquem a necessidade e urgência da publicação da MP 1.068. A medida foi editada por Bolsonaro e publicada na última segunda-feira (6).

A Secretaria-Geral da Presidência da República defende que a MP "reforça direitos e garantias de usuários de redes sociais". "Ficarão assim disciplinados de modo mais concreto os direitos dos usuários à liberdade de expressão e à ampla defesa e ao contraditório no ambiente das redes sociais", disse o governo em nota.

A MP passa a valer a partir de sua publicação, mas para se tornar lei depende ainda da aprovação da Câmara e do Senado, que podem rejeitá-la. O prazo de vigência da medida provisória é de 60 dias, prorrogável uma vez por um período igual de 60 dias. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Após erupção do vulcão Cumbre Vieja, especialistas temem gases tóxicos
Manhã na Clube: Lucas Ramos (Sec. de Ciência e Inovação de Pernambuco) e dr. Catarina Ventura
Na ONU, Bolsonaro diz ser contra passaporte sanitário
Manhã na Clube: Augusto Coutinho, Laurice Siqueira, Frederico Preuss Duarte e Kaio Maniçoba
Grupo Diario de Pernambuco