Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

7 DE SETEMBRO

Manifestantes pró-governo se aglomeram próximo ao Congresso Nacional

Publicado em: 06/09/2021 22:32

 (Foto: Luana Patriolino)
Foto: Luana Patriolino
Os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se aglomeram em frente ao bloqueio colocado pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) nas proximidades do Congresso Nacional. Os manifestantes entraram na Esplanada dos Ministérios, após o bloqueio ser liberado pela polícia. Cerca de 2 mil pessoas se concentram no local. Algumas delas estão sem máscara de proteção facial. Os manifestantes também estão empolgados consumindo bebida alcoólica e ouvindo músicas. A intenção deles é passar a noite na área. Barracas foram montadas.

Caminhões também se juntam para protestar. Na altura do Palácio do Itamaraty, os motoristas travaram o trânsito. Os manifestantes também tiraram as grades de bloqueio que foram colocadas na grama da Esplanada.

O trânsito está intenso a partir da Rodoviária do Plano Piloto, por causa dos apoiadores de Bolsonaro. Eles gritam, realizam buzinaço e pedem a retirada dos ministros do Supremo Tribunal Feder (STF). Os presentes ostentam caminhões, ônibus, bandeiras do Brasil e até mesmo um trailer adaptado passa pelo local. Policiais militares tentam viabilizar o trajeto.

Segurança
A ponto de bloqueio da Esplanada dos Ministérios foi liberado pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). A via de acesso estava fechada desde domingo (5). No entanto, na noite desta segunda-feira (6), os manifestantes invadiram o local e acessaram a Esplanada. Cerca de 400 pessoas estão no local. Além da aglomeração (veja vídeo), muitos manifestantes floram flagrados sem máscara de proteção facial.

Na expectativa de receber pelo menos 100 mil manifestantes na Esplanada dos Ministérios, no feriado de 7 de Setembro, o governo do Distrito Federal afirmou que a segurança da capital será reforçada para evitar possíveis ataques de grupos pró e contra governo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do DF, treze grupos pró-governo foram cadastrados na pasta para protestar no feriado. O ponto de encontro será na frente da Biblioteca Nacional. De lá, eles deverão seguir pela Esplanada. Por questões de segurança, o acesso à Praça dos Três Poderes será restrito.

O Departamento de Trânsito (Detran/DF) e a PMDF fecharam a entrada com grades e cercas a partir das Alamedas dos Estados, pouco antes do Congresso Nacional. Na prática, isso significa que manifestantes não terão acesso a prédios como Câmara dos Deputados, Senado Federal, Itamaraty, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal.

Os manifestantes pró-governo ficarão na Esplanada dos Ministérios. Treze grupos foram cadastrados pelo Núcleo de Atividades Especiais (Nucae), da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF). O ponto de encontro será a Biblioteca Nacional. De lá, seguirão pela Esplanada dos Ministérios e poderão chegar até a Avenida José Sarney, na ligação entre as vias S1 e N1. Os monumentos e prédios públicos estarão fechados com gradil e resguardados por policiais.

Os ônibus com a comitiva dos manifestantes a favor do governo estão chegando de todo país desde o último fim de semana e se fixando próximo ao Teatro Nacional. A maioria dos hotéis da área central de Brasília já está lotada desde ontem. Pelo menos, 5 mil policiais deverão atuar no feriado para evitar ataques às instituições.

As manifestações contra o governo vão se concentrar no estacionamento da Torre de TV, a partir das 8h da manhã, ao lado da Praça das Fontes. De lá, os presentes devem ir caminhando até o Memorial dos Povos Indígenas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco