Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

TERRAS INDÍGENAS

Bolsonaro sobre marco temporal: 'Vai acabar com o agronegócio no Brasil'

Publicado em: 02/09/2021 22:03

Marco temporal deve começar a ser votado pelo STF na próxima semana (Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Marco temporal deve começar a ser votado pelo STF na próxima semana (Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou uma possível revisão do marco temporal, que está sendo analisada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Com a medida em vigor, indígenas só podem demarcar territórios que ocupavam quando a Constituição Federal de 1988 foi promulgada. Caso a ação seja revista, Bolsonaro disse que o agronegócio no Brasil vai acabar.

Bolsonaro afirmou que em caso de revisão do marco temporal, áreas no Centro-Oeste e Norte do país serão "anuladas", dizendo que demarcações indígenas podem afetar produtores rurais. O presidente declarou, ainda, que essas pessoas ficariam "desestimuladas" a investir no Brasil.

"Vai simplesmente acabar com o agronegócio no Brasil. Essas áreas são concentradas, em grande parte, no Centro-Oeste e Norte. Pela localização geográfica das áreas, elas anulam outras. Demarcou aqui e tem um pessoal produzindo soja, não adianta produzir soja. Pode esquecer. Vai ter que passar de avião por cima da reserva. Acaba o Brasil", afirmou.

Bolsonaro pediu "bom senso" ao STF para que o Brasil "não seja entregue aos índios" e espera que o marco temporal seja mantido. O presidente disse que "indígenas não querem mais ficar dependentes de projetos sociais do governo federal".

"Cada vez mais nossos irmãos indígenas estão trabalhando no campo para produzir para si e para vender. Eles não querem mais ficar dependentes de projetos sociais do governo federal. Cada vez mais querem se integrar. Esperamos que o STF mantenha o marco temporal como em 1988", concluiu.

Também nesta quinta, o procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifestou contrariamente ao marco temporal. Nesta semana, o STF retomou o julgamento e ouviu 39 inscritos. Na próxima quarta-feira (8), o relator, ministro Edson Fachin, deve votar.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Após erupção do vulcão Cumbre Vieja, especialistas temem gases tóxicos
Manhã na Clube: Lucas Ramos (Sec. de Ciência e Inovação de Pernambuco) e dr. Catarina Ventura
Na ONU, Bolsonaro diz ser contra passaporte sanitário
Manhã na Clube: Augusto Coutinho, Laurice Siqueira, Frederico Preuss Duarte e Kaio Maniçoba
Grupo Diario de Pernambuco