Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

GOVERNO BOLSONARO

Vice da Câmara sinaliza vontade de passar impeachment na ausência de Lira

Publicado em: 20/07/2021 18:57

 (Marcelo Ramos vem trocando farpas com o presidente Jair Bolsonaro desde a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputado)
Marcelo Ramos vem trocando farpas com o presidente Jair Bolsonaro desde a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputado
O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), afirmou, nesta terça-feira (20), que estuda a possibilidade de acatar um pedido de impeachment no exercício provisório do comando da Casa.

Na ausência do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), Ramos sinalizou que pode passar os mais de 126 documentos que pedem o impedimento de Jair Bolsonaro (sem partido).

“Porque o tipo penal que trata de eleição fala em ameaça. Então ameaçar o processo eleitoral já é crime de responsabilidade", afirmou Marcelo Ramos. "O bolsonarismo está cada vez mais no gueto. O problema é que como é muito barulhento, eles parecem que são mais do que efetivamente são. Mas não vou recuar”, declarou, em entrevista à "Folha de S.Paulo".

Ainda de acordo com Ramos, Bolsonaro cometeu "claro crime de responsabilidade" ao ameaçar as eleições presidenciais. 
 
Troca de farpas
Na tarde de ontem, segunda-feira (19), Bolsonaro disse para apoiadores em frente ao Alvorada que Marcelo Ramos era "insignificante".

Na conversa, o  presidente voltou a criticar a aprovação de R$ 5,7 bilhões, incluídos na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), para o fundo eleitoral de 2022. 

Segundo Bolsonaro, Ramos é "insignificante" e atropelou o Regimento Interno da Câmara para não permitir que votassem em separado o dispositivo sobre aumentar o fundão eleitoral. "Agora cai para mim sancionar ou vetar. Tenho 15 dias úteis para decidir", completou o presidente.

"Que covardia da mídia, nós aprovamos a LDO no ano passado. Tem que aprovar a LDO para a gente dar prosseguimento ao Orçamento. Agora, no meio da LDO, o relator botou lá quase R$ 6 bilhões para o fundo partidário. Covardia da mídia. Pegaram o nome dos deputados que votaram a LDO: Olha, eles votaram para aumentar o fundão", afirmou o presidente. Segundo Bolsonaro, o PT, que orientou e votou contra a lei de diretrizes orçamentárias, o fez porque quer inviabilizar o governo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com prefeito João Neto (PL), dra Tamires Sales e advogado Rômulo Saraiva
Manhã na Clube: entrevistas com Chico Kiko, Diego Pascaretta e Rômulo Saraiva
Domitila, artivista e recifense que está entre as selecionadas do Miss Alemanha 2021
Terceira dose de vacina anticovid começa a ser aplicada em Israel para aumentar imunidade
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco