Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

PUNIÇÃO

Conselho de Ética aprova seis meses de suspensão para Daniel Silveira

Publicado em: 07/07/2021 14:54

 (crédito: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados)
crédito: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Por 12 votos a 8, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara decidiu punir o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), nesta quarta-feira (7), com seis meses de suspensão do mandato. Para o colegiado, Silveira quebrou o decoro parlamentar por ter gravado e divulgado um vídeo com incitação de violência contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e exaltação ao AI-5, o Ato Institucional mais repressivo da ditadura militar (1964-1985). Agora, o processo seguirá para votação final no Plenário da Câmara, ainda sem data marcada.

A pena de seis meses de suspensão foi proposta pelo relator do caso, Fernando Rodolfo (PL-PE), cujo parecer foi aprovado pelo conselho durante a reunião. O deputado argumentou que, embora condene os atos de Daniel Silveira, ele considera que um parlamentar não pode ter o mandato cassado em razão de suas palavras.

"Acho que se a gente tivesse uma punição maior, não sendo a perda do mandato, eu teria colocado nesse relatório. Seis meses (de suspensão) talvez seja pouco, mas a perda do mandato, repito, considero uma medida muito extrema. Por mais que tenha extrapolado, o deputado Daniel não praticou ato de corrupção, não matou. Perder o mandato pelo que ele fala, eu acho que é muito grave, e pode abrir um precedente", disse o relator, durante a reunião do conselho.

Ele também destacou que, caso a suspensão de Silveira seja confirmada pelo Plenário da Câmara, o deputado ficará totalmente afastado das prerrogativas parlamentares e não receberá salários.

Com o resultado da votação, ficaram prejudicados os cinco votos em separado que pediam a cassação do mandato de Daniel Silveira. Eles foram apresentados por deputados do PSB, do PSDB, do PT, do Psol e do Novo. Para esses parlamentares, o bolsonarista, com o vídeo que divulgou, atacou a Constituição que jurou respeitar e representou grave ameaça à democracia e ao próprio Parlamento.

"O áudio (vídeo) do Daniel Silveira não é só escatológico. Ele é um discurso de ódio, um discurso de intolerância, um discurso que deixa um exemplo de violência na sociedade", disse o deputado Ivan Valente (Psol-SP). "É um desrespeito à própria democracia e às instituições", acrescentou.

Prisão
O deputado Daniel Silveira foi preso em flagrante em 16 de fevereiro, por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, após ter divulgado o vídeo com ataques aos membros do tribunal. A decisão de Moraes foi, posteriormente, validada pelo plenário do Supremo e pela Câmara dos Deputados.

Em 14 de março, o ministro concedeu ordem em habeas corpus para que o parlamentar deixasse o Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde estava encarcerado, e passasse a cumprir a prisão preventiva em regime domiciliar, devendo obedecer a uma série de medidas cautelares, incluindo o monitoramento eletrônico. Porém, em 24 de junho, Daniel Silveira voltou a ser preso no mesmo batalhão da PM, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que argumentou que o deputado desrespeitou o uso de tornozeleira eletrônica por 30 vezes.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Terceira dose de vacina anticovid começa a ser aplicada em Israel para aumentar imunidade
Manhã na Clube: entrevistas com coronel Luiz Meira (PTB), Regina Sales e Maria Dulce
Manhã na Clube: entrevistas com José Maria Eymael, Rodrigo Floro e Chico Kiko (PP)
Leão se afasta de parque onde vive solto e assusta moradores de cidade africana
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco