Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

Bolsonaro na pandemia: 5 passeios de moto e nenhuma visita a hospitais

Publicado em: 11/07/2021 17:10

 (foto: Alan Santos/Presidência da República)
foto: Alan Santos/Presidência da República
Em meio à trágica marca de 532.949 mortes pelo coronavírus no país, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não fez nenhuma visita a hospitais - que ainda sofrem com falta de leitos e medicamentos -  e postos de vacinação desde o início da pandemia. 

No entanto, nos últimos meses, o titular do Palácio do Planalto participou de motociatas em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Chapecó e Porto Alegre. Agora planeja um grande "passeio" no 7 de Setembro, em Brasília.

Acuado por uma CPI sobre sua gestão da pandemia e enfrentando quedas de popularidade e pedidos de impeachment, o presidente reuniu apoiadores nesse sábado (10/7) em Porto Alegre. Uma mulher que protestava contra o ato batendo em uma panela foi presa pela Brigada Militar do Rio Grande do Sul. O caso teve grande repercussão no Twitter. O vereador de Porto Alegre Matheus Gomes (PSOL) escreveu na rede social que conversou com testemunhas para tomar medidas sobre o fato.

"Abuso policial! Uma cidadã de Porto Alegre acabou de ser presa por bater panela, enquanto acontecia a motociata de Bolsonaro! Isso é um absurdo! É repressão ao direito de manifestação! Acabei de conversar com pessoas que presenciaram o fato e estamos vendo como auxiliar", escreveu o vereador.

“Não abriremos mão da nossa democracia, da nossa liberdade, dos nossos direitos, garantidos em nossa Constituição. Quem pensa o contrário está no caminho errado”, disse o presidente aos espectadores do vídeo ao vivo.

Em outra recente declaração, o presidente confirmou que os motociclistas não vão mais pagar pedágio nas rodovias que vierem a ser concedidas à iniciativa privada. 

No último dia 26, o passeio de moto passou por Chapecó, em Santa Catarina e contou com quase 30 mil motocicletas e a participação de 40 mil pessoas, de acordo a organização do encontro. 

A motociata provocou a paralisação do trânsito na BR-282 e teve policiamento dos comandos da 4ª Região de Chapecó, da 2ª Região de Lages, da 9ª Região de São Miguel do Oeste, e da 10ª Região de Joaçaba. Além desses, grupos do policiamento com moto, Polícia Militar Rodoviária e cavalaria também acompanharam o movimento. O governo do Estado não informou os custos da operação.

Os eventos também foram realizados em Brasília (9 de maio), Rio de Janeiro (23 de maio) e São Paulo (12 de junho) e levantaram discussões sobre violações de medidas sanitárias e de distanciamento, além de  questionamentos sobre os gastos com mobilização de órgãos de estado e recursos para custear a operação das manifestações.

Em junho, a capital mineira também entrou no radar do presidente Bolsonaro. Na ocasião, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) reforçou em entrevista ao jornal Estado de Minas os temores sobre as consequências que a eventual manifestação bolsonarista podia proporcionar ao cenário da pandemia de COVID-19 na cidade.

Kalil também afirmou que o chefe do poder Executivo nacional seria multado caso descumprisse regras de combate à infecção, como o uso obrigatório de máscaras.

"Já pedi a ele, inclusive via imprensa, para não vir. Cuidamos muito da cidade.Cito sempre essa frase: 'muito ajuda quem pouco atrapalha'", disse o prefeito. 

Queda de popularidade

Conforme pesquisa Datafolha divulgada nesse sábado, a  maioria da população brasileira defende a abertura de um processo de impeachment do presidente Bolsonaro. É a primeira vez que esse desejo se torna majoritário na sondagem, desde que o instituto começou a questionar os brasileiros sobre o tema, em abril de 2020.

De acordo com a pesquisa, 54% dos entrevistados afirmaram que são a favor da ação pela Câmara dos Deputados, na comparação com 42% que se mostram contrários à ideia.

A última pesquisa eleitoral também divulgada pelo Instituto Datafolha mostrou que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ampliou a vantagem sobre Jair Bolsonaro  nas intenções de voto para as eleições 2022.

No levantamento estimulado – quando são apresentados os possíveis candidatos ao eleitor –, Lula lidera a corrida no primeiro turno, com 46% das intenções. Bolsonaro aparece com 25%.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Terceira dose de vacina anticovid começa a ser aplicada em Israel para aumentar imunidade
Manhã na Clube: entrevistas com coronel Luiz Meira (PTB), Regina Sales e Maria Dulce
Manhã na Clube: entrevistas com José Maria Eymael, Rodrigo Floro e Chico Kiko (PP)
Leão se afasta de parque onde vive solto e assusta moradores de cidade africana
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco