Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

CRÍTICA

'Covardia', diz Huck sobre Bolsonaro mandar repórter 'calar a boca'

Publicado em: 21/06/2021 17:02

 (foto: Divulgação)
foto: Divulgação
O apresentador Luciano Huck usou as redes sociais nesta segunda-feira (21) para comentar as falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que mandou uma repórter da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo, calar a boca ao ser questionado sobre a utilização de máscaras em Guaratinguetá, São Paulo.
 
“Toda a minha solidariedade à repórter Laurene Santos. A jornalista foi atacada ao fazer perguntas pertinentes. Rodeado de bajuladores, o presidente se sentiu à vontade para humilhar uma mulher que apenas cumpria seu dever profissional de informar. Covardia total”, escreveu o apresentador.
 
Luciano chegou a ser cotado para disputar as eleições presidenciais de 2022 contra Bolsonaro. Nos bastidores da política, o apresentador era apontado como “terceira via", pondo em vista um suposto embate entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o chefe do Executivo federal. Huck chegou a fazer diversas reuniões e sinalizou que iria se filiar ao Cidadania.
 
O apresentador foi fotografado ao lado do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do ex-juiz Sérgio Moro e do ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ).
O apresentador é crítico de Jair Bolsonaro devido a postura do presidente durante a pandemia de COVID-19. Ele usa as redes para falar sobre o assunto. No Twitter, Huck tem mais de 13 milhões de seguidores. 
TAGS: repÓrter | bolsonaro | huck |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Tudo pronto para o lançamento da primeira viagem espacial para turistas
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Sérvio Fidney e Ana Holanda
Grupo Diario de Pernambuco