Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

SOCIALISTAS

Vice de Marília, João Arnaldo pede que PSB entre em processo de reflexão

Publicado em: 16/11/2020 00:53 | Atualizado em: 16/11/2020 01:35

 (Foto: Peu Ricardo/DP)
Foto: Peu Ricardo/DP
Em coligação com o PT, o PSOL se faz presente na disputa dos prefeituráveis do Recife através do vice de Marília Arraes, João Arnaldo. A prática de se coligar com outros partidos do campo da esquerda não é muito comum para a sucursal pernambucana do PSOL, algo que foi visto com naturalidade pelo candidato à vice-prefeitura. Em oposição à atual gestão municipal, cujo partido, PSB, será seu adversário em segundo turno, João Arnaldo pediu um processo de reflexão entre os socialistas.

“Talvez o melhor que o povo do Recife possa fazer para vencer é fazer o PSB entrar em um processo de reflexão, porque quando se comete muitos erros, o melhor é deixar o poder e ter um momento de repensar seus erros, repensar os movimentos equivocados que foram repetidos nos últimos anos, em especial com um governo municipal que tem destruído políticas públicas que eram exitosas no Recife”, afirmou o candidato, que ainda criticou um comportamento de “conveniência’ no PSB.

“Contribuíram para golpe parlamentar, com um falso impeachment, liderado por Temer e com apoio forte do PSB, com secretários liberados pelo governador para ir votar no golpe que fatalizou o Brasil e levou, por várias circunstâncias, à vitória de Bolsonaro. Nós já vimos o PSB fazer o giro quando lhe é conveniente. Em menos de dez anos, eles já foram aliados de Mendonça, de Lula, quando foi conveniente, buscaram novamente o apoio do PT e, agora, o que se define é que eles podem, se for conveniente, estar aliados de Bolsonaro”.

Com o PSOL abdicando de lançar candidato à Prefeitura do Recife, João Arnaldo viu a aliança com o PT como uma união natural de forças progressistas. “A escolha das coligações tem que passar por isso, a escolha do PT não foi pragmática, foi uma escolha por um desafio de buscar oposições. O PSOL foi um dos partidos que entendeu que esse movimento vai de encontro com nosso desafio atual, derrotar as forças do obscurantismo que, infelizmente, colocaram o país nesta situação que está hoje”, concluiu.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: Novembro Azul chega ao fim, mas prevenção do câncer de próstata precisa ser permanente
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão #276 Propagação vegetativa em plantas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 30/11
Segundo turno em PE: João Campos é eleito prefeito do Recife
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco