Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES

Assim como Bolsonaro, candidatos apoiados por Huck não decolam nas eleições

Publicado em: 16/11/2020 16:59

 (Foto: Redes Sociais/Reprodução)
Foto: Redes Sociais/Reprodução
O apresentador Luciano Huck decidiu investir de vez na sua carreira política. Cotado para as eleições presidenciais de 2022, Huck fez doações para seis candidatos nas eleições municipais deste ano. O apresentador investiu cerca de R$ 45 mil, mas nenhum dos nomes se elegeu. 

A maioria deles se candidatou pelo Cidadania, legenda que almeja lançar a candidatura presidencial de Huck. Na semana passada, o apresentador esteve sob os holofotes depois de almoçar com o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sèrgio Moro. Os dois pretendem formar uma chapa para a disputa de 2022.

Dos candidatos a vereador que receberam doações de Huck, quatro ficaram como suplentes: no Rio de Janeiro, Chris Aguiar (Cidadania), com 1.676 votos; Jorge Melo (Cidadania), com 3.591 votos; e Armed Rio (Cidadania), com 3.930 votos; e, em Volta Redonda (RJ), Raone Ferreira (PSB), com 1.409. Todos receberam R$ 5 mil do apresentador.

Léo Souza (Cidadania) foi candidato a vereador em Natal, no Rio Grande do Norte. Ele recebeu R$ 20 mil de Huck, mas, com 4.022 votos, não conseguiu ficam nem com a suplência.

Para a prefeitura, Huck apoiou apenas um candidato. Thiago Valério (Cidadania) ficou sem segundo lugar em Barra Mansa, no Rio de Janeiro. Ele recebeu 15.247 votos. 

Nas eleições passadas, o apresentador doou R$ 285 mil para 14 candidatos.
 
Bolsonaro não alavanca 
Os candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também não viram a ajuda política reverter em votos nas eleições deste domingo (15).

Dos 45 vereadores apoiados em 27 cidades, 10 se elegeram e 31 conseguiram apenas a suplência. 
 
Bolsonaro espalha discurso, mas vê candidatos fracassarem nas maiores cidades 

Em Belo Horizonte, no entanto, o nome indicado pelo presidente acabou surpreendendo nas urnas. Bruno Engler (PRTB) ficou em segundo lugar. 
 
A voz de Huck
Durante a pandemia do novo coronavírus, Huck vem fazendo várias críticas ao governo federal. Ele chegou a afirmar que o governo bolsonarista "sonega informações aos cidadãos e comete crime" e chamou o presidente de ineficiente e autoritário.

Com 13 milhões de seguidores no Twitter, Luciano Huck usa as redes sociais para debater política e conversar com os usuários. Em clima de eleições, o apresentador vem intensificando sua “futura campanha" no on-line.

Nos últimos meses, Huck se reuniu com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), políticos, pesquisadores e representantes de setores empresariais. 

O encontro mais recente, com o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, foi visto com ressalvas pelos conselheiros e articuladores do projeto eleitoral de Huck.

O apresentador se diz ser de “centro” e procura uma aliança que não extrapole os polos políticos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Convivendo com HIV e Aids: 40 anos depois, o estigma persiste
Resumo da semana: repercussão das eleições, gastos parlamentares e receio de novo lockdown
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 04/12
Entrevista com o governador Paulo Câmara
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco