Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

STF

Bolsonaro diz que escolheu Kassio para o Supremo mais por afinidade

Publicado em: 10/10/2020 18:10

 (Foto: Evaristo Sá/AFP)
Foto: Evaristo Sá/AFP

 

Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais na tarde deste sábado (10/10), o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), e disse que o indicou para o Supremo Tribunal Federal (STF) devido à intimidade que tem com o magistrado.

 

 Segundo o chefe do Executivo, um fator que foi determinante para a sua escolha à Suprema Corte foi a "afinidade" com Kassio. Bolsonaro comentou que muitos candidatos que analisou tinham excelentes currículos, mas ele optou pelo desembargador por conta da proximidade que tem com Kassio.

 

"Tinha uns 10 currículos na minha mesa, eu ia optar por um. E eu até falei: olha, esse cara tem que tomar uma cerveja comigo ou Tubaína. Eu não vou indicar um cara só pelo currículo. Vai chegar lá, vai ser o dono de si. Ele tem que ser independente, tudo bem, mas ele tem que ter essa afinidade comigo, que ele tem através da Tubaína ou da Coca-Cola", disse Bolsonaro.

 

O presidente acrescentou que "se a gente estiver tomando refrigerante juntos, nós temos coisa em comum pra discutir: a questão do aborto, família, armamento, política externa, livre mercado, essas coisas". "O que eu transmito, se eu tô tomando uma Tubaína contigo, o que quer dizer? Que nós somos amigos", explicou.

 

Nos últimos dias, Bolsonaro recebeu muitas críticas por ter nomeado Kassio para uma vaga no STF. As reclamações partiram, em sua grande maioria, dos próprios apoiadores do presidente, em especial dos evangélicos, que esperavam que o chefe do Executivo cumpriria com a promessa de indicar alguém "terrivelmente evangélico" para a Suprema Corte.

 

O fato de Kassio ter sido nomeado para o TRF-1 pela ex-presidente Dilma Rousseff foi mais um motivo para a revolta dos bolsonaristas, que passaram a chamar Bolsonaro de petista e traidor. O desembargador também não agradou à base de apoio do presidente por nunca ter se posicionado publicamente em defesa de uma agenda conservadora de costumes.

 

Na transmissão deste sábado, Bolsonaro comentou que "tem muita gente boa" que trabalhou nos governos do PT ou foi indicada para cargos por presidentes que eram filiados ao partido, e que não poderia desmerecer a capacidade dessas pessoas apenas pelo passado vinculado ao PT. "Sempre vejo a questão da produtividade. Se quiser fazer politicalha trabalhando, aí não dá certo."

TAGS: supremo | kassio | bolsonaro |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Polícia Federal vai usar drones para fiscalizar irregularidades nas eleições
Rhaldney Santos entrevista Dr. João Gabriel Ribeiro, neurocirurgião
Rhaldney Santos entrevista Armando Sérgio (Avante)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #179 - Coração dos vertebrados
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco