Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

INVESTIGAÇÕES

PM de Goiás confirma vistoria em ateliê que fez faixa contra Bolsonaro, mas nega intimidação

Publicado em: 31/08/2020 19:36

 (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Foto: Polícia Militar/Divulgação
Subordinada ao governador Ronaldo Caiado (DEM), um dos principais aliados de Jair Bolsonaro, a Polícia Militar de Goiás confirmou que esteve na noite da última sexta-feira (28) no ateliê em Caldas Novas (170 km de Goiânia) onde foram confeccionadas faixas para um protesto contra o presidente.

O jornal Folha de S.Paulo revelou no sábado (29) que duas pessoas envolvidas na confecção das faixas contra Bolsonaro foram intimidadas pela PM na véspera da visita do mandatário, que foi à cidade para inaugurar uma usina fotovoltaica.

A PM, contudo, nega a intimidação e afirma que não houve qualquer tipo de censura ao protesto.
 
Faixa de pano presa numa cerca à céu aberto. O texto diz: Bolsonaro o Brasil quer saber por que o Queiroz depositou R$ 89 mil na conta da sua mulher.

Em nota enviada à reportagem nesta segunda-feira (31), a PM informou que recebeu uma denúncia informando que o grupo de manifestantes pretendia fixar as faixas na área interna do aeroporto de Caldas Novas, o que não é permitido pelas normas de segurança do local.

A polícia informou que foi ao ateliê averiguar a denúncia e que orientou os manifestantes para que não colocassem faixas na cabeceira da pista do aeroporto por medida de segurança, "uma vez que poderia provocar grave acidente".

A PM ainda afirmou que "não cerceou o direito à livre manifestação" durante a visita de Bolsonaro a Caldas Novas.

"A PM-GO reconhece e apoia o direito a livre manifestação, mas destaca a necessidade de obedecer aos protocolos de segurança estabelecidos para garantir a proteção de toda população", informou.

O protesto contra Bolsonaro foi organizado em redes sociais por um grupo de moradores da cidade. Uma das faixas questionava o porquê de Fabrício Queiroz e a mulher dele terem depositado R$ 89 mil na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Diante da mobilização em torno do protesto, dois policiais, um deles identificado apenas como tenente Alexandre, foram ao ateliê onde eram confeccionadas as faixas, no bairro Olegário.

Em seguida, os policiais obrigaram o proprietário do estabelecimento a entrar na viatura e ir até a casa do pintor Salmeron de Oliveira, 51, que havia confeccionado as faixas.

Com o proprietário do estabelecimento dentro do carro, a polícia ficou parada na porta da casa de Oliveira por mais de uma hora. "Os policiais ficaram na porta da minha casa com giroflex ligado, tentando intimidar", afirmou o pintor.

Os policiais só foram embora depois de pressionar Oliveira a ligar para o organizador do protesto, Andreazza Joseph Gomes, 37. Na ligação, a polícia pediu o endereço de Gomes, mas desistiu de ir até o local.

No sábado, as faixas foram estendidas pelos manifestantes nas proximidades do aeroporto de Caldas Novas, mas não houve incidentes.

O estado de Goiás é governado por Ronaldo Caiado, um dos principais aliados do presidente. Os dois haviam rompido após o governador do DEM criticar a postura de Bolsonaro e a condução da pandemia pelo governo federal, mas reataram as relações.

A pergunta sobre Queiroz já irritou Bolsonaro em outras ocasiões. No último dia 23, durante uma visita de cinco minutos a ambulantes da Catedral de Brasília, um repórter do jornal O Globo questionou o presidente sobre os motivos para Queiroz e sua mulher terem repassado esse valor para a conta de Michelle.

Após a insistência do repórter, sem olhar diretamente para ele, afirmou: "A vontade é encher tua boca com uma porrada, tá?".

Amigo do presidente há 30 anos, Queiroz atuou como assessor de Flávio na Assembleia, quando o filho do presidente era deputado estadual. Queiroz está em prisão domiciliar e, assim como Flávio, é investigado sob suspeita dos crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Ministério da Saúde autoriza volta parcial da torcida na Série A
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #101 Actina e Miosina
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco