Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

INVESTIGAÇÃO

Dias Toffoli analisará pedido de Witzel para voltar ao cargo de governador do Rio

Publicado em: 31/08/2020 17:37

 (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
)
Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, foi escolhido, nesta segunda-feira (31), relator de um habeas corpus apresentado na Corte pela defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O político pede a suspensão da liminar expedida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) que o removeu do cargo. Toffoli solicitou que a Procuradoria Geral da República e o STJ se manifestarem sobre o caso. Ambas as instituições têm 24 horas para enviar parecer sobre o tema.

O afastamento do governador foi ordem do ministro Benedito Gonçalves e o caso será levado ao Órgão Especial do STJ na próxima quarta-feira (2/9). O colegiado é formado por 15 dos magistrados mais antigos da Corte. No entanto, caso entenda necessário, Toffoli pode decidir sobre o caso antes disso, caso não queira esperar a decisão dos demais juízes.

Witzel é acusado de envolvimento em um esquema de corrupção no Rio. Ele teria recebido propina de verba desviada em contratos firmados nas áreas de saúde e educação, especialmente na compra de testes para o novo coronavírus.

A defesa do governador alega que ele não poderia ser afastado por decisão monocrática, e apresentou recurso. Ele deve ficar fora do cargo por pelo menos seis meses, caso a decisão do ministro Benedito não seja revista.

Em discurso após ser alvo da operação conduzida pela PF, Witzel alegou ser vítima de perseguição política e acusa o presidente Jair Bolsonaro de interferir no caso. Para o governador, o presidente agiu para evitar que ele indicasse o procurador-geral do Estado, no fim do ano, pois quem for nomeado ao posto terá participação no processo contra o senador Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro.


O parlamentar é acusado de chefiar um esquema de rachadinha supostamente montando no gabinete dele na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), à época em que ele era deputado estadual. O senador nega as acusações.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Ministério da Saúde autoriza volta parcial da torcida na Série A
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #101 Actina e Miosina
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco