Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

Eleições 2020

PSOL desiste de candidatura no Recife e pode apoiar Marília Arraes

Publicado em: 08/07/2020 15:39 | Atualizado em: 08/07/2020 18:56

 (Divulgação)
Divulgação
Em reunião plenária ocorrida na noite desta terça-feira (7), o PSOL votou e aprovou a retirada das pré-candidaturas a prefeitura do Recife em troca de uma aliança com partidos de esquerda da capital. A proposta foi aceita pela maioria dos correligionários e beneficia diretamente o projeto da deputada federal Marília Arraes (PT), que tenta se vibilizar como candidata e articula uma frente de esquerda na capital. 

O PSOL tinha como pré-candidatos para o Recife o presidente estadual da sigla, Severino Souto Alves e o ex-deputado federal, Paulo Rubem Santiago. Por conta da mudança da tática eleitoral, o partido decidiu que não vai realizar as prévias para a escolha de um nome para encabeçar uma chapa majoritária própria.

Mesmo tendo se colocado como postulante, Severino era um dos psolistas que avaliavam que uma eventual união dos partidos da esquerda no Recife poderia trazer resultados positivos para as siglas envolvidas. Segundo ele, não houve resistência interna para esta opção. "Dentro do PSOL tem algumas pessoas que defendem uma candidatura própria, e aí no segundo turno, tentar construir uma frente ampla. Essa seria a tática. Mas é um campo que era minoritário. O campo majoritário foi o que ganhou. A gente teve um debate plural, da melhor maneira possível politicamente. Mas aí a resolução final de candidatura não teve nenhum voto negativo não, contrário a construção da frente não", explicou.

Nacionalmente, o PSOL compõe a Frente Nacional de Esquerda com o PSB, o PT, PDT, PCdoB e Rede. Sobre o assunto, o presidente estadual do PSOL reforça que o cenário local tem uma conjuntura diferente. 

"A nacional ela tem a centralidade política do combate a retirada de direitos e ao governo bolsonaro. Com centralidade política estabelecida. E nós estamos juntos com o grande campo da esquerda brasileira. Localmente a gente tem uma divergência dessa construção com o PSB. Sobretudo nas posturas do PSB no governo do Estado. O PSB também apoiou Aécio Neves em 2014, o PSB apoiou o golpe que aconteceu com a Dilma Rousseff, o PSB também constitui uma candidatura de tradição familiar", disse.

No PT, Marília Arraes ainda não foi oficializada como pré-candidata. Já tendo perdido o apoio do diretório municipal e estadual a sua postulação, apesar de ter o entusiasmo de boa parte da militância petista. Nacionalmente, Marília conta com a aprovação de Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente nacional do PT, a sua candidatura. 

Em nota enviada nesta terça-feira (7), Marília disse que a Frente de esquerda tem o intuito de se opor as candidaturas dos herdeiros políticos de Bolsonaro e ao PSB. “PT e PSOL precisam firmar esta união porque está claro que tanto do ponto de vista nacional, com Bolsonaro, quanto aqui em Pernambuco e no Recife, com Governo do Estado e Prefeitura, o que se oferece é muito ruim para a população. Não há projetos de transformação social, mas apenas acertos políticos para manter no poder grupos que não têm compromisso em mudar a realidade das pessoas”, afirmou.
 
Dirigentes do PSOL e militantes seguem defendendo a Pré-Candidatura no Recife

Paulo Rubem, apesar do anúncio oficial, segue defendendo sua pré-candidatura à Prefeitura do Recife. Ele é apoiado por dirigentes e militantes do PSOL. No início da noite desta quarta-feira (8), a assessoria de comunicação do ex-deputado divulgou uma nota reiterando o desejo de concorrer à majoritária na capital pernambucana. A nota é assinada por oito pessoas, entre militantes e dirigentes do PSOL.

“Respaldados pelas Resoluções do Diretório Nacional do PSOL e a partir da inscrição da Pré-Candidatura no Diretório Estadual do PSOL em outubro de 2019, dirigentes do partido, no plano nacional, estadual e municipal decidiram hoje levar o nome do Professor Paulo Rubem Santiago à Convenção Municipal do Partido”, diz a nota dos apoiadores de Paulo Rubem.

Alguns dirigentes e militantes acreditam que a decisão, tomada por quatro votos na reunião ocorrida na terça (7), no Diretório Municipal, em apoio a uma candidatura externa ao PSOL, não teria “respaldo estatutário nem regimental”.

“Até o início da reunião havia duas pré-candidaturas registradas, a do Professor Paulo Rubem Santiago e a do Presidente Estadual do PSOL Severino Alves. Em sua fala o Presidente Estadual comunicou a retirada de sua pré-candidatura passando a defender uma candidatura externa ao partido. A partir daí restou a pré-candidatura do Professor Paulo Rubem Santiago. Entretanto, por quatro votos colhidos entre os sete membros do Diretório Municipal decidiu-se indevidamente pelo apoio ao nome externo, substituindo-se assim, dessa forma, a deliberação dos milhares de filiados do PSOL em Recife, a ser tomada em convenção municipal e, dessa maneira, cassando-se indevidamente a pré-candidatura do Professor Paulo Rubem Santiago”, continua o texto dos socialistas. 

“Conforme já haviam se manifestado antes em inúmeras oportunidades, os dirigentes e militantes abaixo assinados seguem defendendo a construção pelo PSOL de uma frente de esquerda que combine a oposição ao governo de Jair Bolsonaro, aos governos do PSB e aos partidos de direita que disputarão as  eleições em 2020 no Recife com a apresentação de um programa de profundas transformações para a cidade, com foco na universalização dos direitos sociais, na reforma urbana e no fortalecimento das políticas de educação, saúde, cultura, habitação, acesso universal à água e ao saneamento, o combate à violência e a todas as formas de discriminação contra as mulheres, negros e negras, população LGBTQIA+, jovens, idosos e pessoas com deficiência”, segue a nota..

O partido conclui com: “Dessa forma defenderemos nas instâncias superiores do partido que seja restabelecida a deliberação pela convenção municipal, dada a ausência de consenso no diretório municipal, restaurando o direito de filiados(as) do PSOL Recife de decidir os rumos do partido”.

O texto é assinado por Leandro Recife, Secretário Geral Nacional do PSOL; José Gomes Neto, Secretário de Organização do Diretório Estadual do PSOL-PE; Isis Silva, membra da Direção Estadual do PSOL; Cleide Andrade, também da Direção Estadual do PSOL; Dayvison Caetano, presidente do Diretório Municipal do PSOL no Recife; Gabriel Augusto, membro da Direção Municipal do PSOL Recife; Áureo Cisneiros, também membro do Direção Municipal do PSOL Recife; e, por fim, o próprio Paulo Rubem Santiago. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Aulão: tudo sobre botânica
Rhaldney Santos entrevista a oftalmologista Larissa Ventura
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #259 O que é uma planta?
Rhaldney Santos entrevista o desembargador do TJPE Erik Simões
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco