Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Alea jacta est!

Pedro Leonardo Lacerda
Advogado pós-graduado em direito público e consultor político

Publicado em: 24/09/2020 03:00 Atualizado em: 24/09/2020 04:09

Em latim medieval, a frase “Alea Jacta Est” significa “o dado foi lançado”. Porém, em nossa língua portuguesa a tradução popularizada tomou o seguinte sentido: “A sorte está lançada”.

O senso comum utiliza a expressão latina buscando sinalizar que os fatores determinantes de um resultado estão postos, ou seja, as variáveis estão postas, os “times em campo”, e o jogo pronto para ser iniciado.

A sabedoria da assertiva supostamente foi proferida pela marcante figura histórica de Caio Júlio César, patrício, líder militar e político romano, ator de papel fundamental na transformação da República Romana no Império Romano.

Júlio César haveria a proferido ao decidir transpor com suas legiões o Rio Rubicão, delimitador da divisa entre a Gália Cisalpina e o território hoje pertencente à querida Itália.

Na esteira da frase do velho ditador romano, chegamos ao momento do calendário eleitoral no corrente ano. Passado o período da realização das convenções partidárias, o regulamento eleitoral avança no sentido do início da campanha propriamente dita.

O eleitor passará a sentir, gradativamente, o pulsar da disputa eleitoral para prefeitos e vereadores tomar impulso em todos os rincões do país. As propagandas inundarão as redes sociais, televisões e rádios, provocando no cidadão a necessidade de definir-se quanto ao futuro das cidades brasileiras.

Afinal, como se diz no meio político, as pessoas vivem nos municípios e não nos estados ou na União – forma alegórica que visa demonstrar a proximidade e influência direta das ações do poder público municipal na vida de nós todos.

Em tempos de luta contra a pandemia do coronavírus, a forma como se desenvolverá as manifestações de campanha ainda é incerta. Pois, a cultura na classe política impõe um rito a ser  cumprido na corrida pelo voto: reuniões, caminhadas, carreatas e comícios com muita gente eram os instrumentos utilizados na manifestação de força, junto ao eleitorado. Uma candidatura sem esses componentes estava fadada ao insucesso.

Agora, com as necessárias restrições sanitárias e o receio de parte da população em contrair a maldita doença, o script voltado para a “caça ao voto” necessariamente terá que ser reinventado, no mínimo adaptado aos novos tempos.

Assim o velho brocardo romano se faz presente, pois, com tantas variáveis políticas e sanitárias, as eleições municipais em todo o Brasil estão marcadas por um caráter de dúvidas e incertezas.

Mais do que nunca a expressão “a sorte está lançada” se faz extremamente adequada ao momento político e social, repleto de incertezas e mudanças experimentadas por nós todos, pernambucanos e brasileiros.

Rhaldney Santos entrevista Dr Carlos Romeiro, ortopedista
Rhaldney Santos entrevista Celso Muniz (MDB)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #181 - Tiops de rins dos vertebrados
Rhaldney Santos entrevista Dr. Felipe Dubourcq, urologista
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco