Diario de Pernambuco
Busca

EUA

Filho de Joe Biden condenado por posse de arma e mentir sobre uso de drogas

Hunter Biden responde por mentir em documentos oficiais sobre uso de drogas ilicitas e porte ilegal de arma de fogo

Publicado em: 11/06/2024 13:32

Pena de Hunter Biden, filho de Joe Biden, ainda será decretada pelo juiz. Mas a condenção poderá levá-lo a 25 anos de prisão (Crédito: Anna Moneymaker / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
Pena de Hunter Biden, filho de Joe Biden, ainda será decretada pelo juiz. Mas a condenção poderá levá-lo a 25 anos de prisão (Crédito: Anna Moneymaker / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Hunter Biden, filho de Joe Biden, foi considerado culpado pelo tribunal do júri nesta terça-feira (11/6). A pena dele será decretada pelo juiz do tribunal de Wilmington, Delaware, mas os crimes a ele imputados podem levá-lo a prisão por até 25 anos. 

O advogado e lobista Hunter Biden, de 54 anos, é acusado de mentir sobre consumo de drogas para adquirir uma arma em 2018. Essa é a primeira vez que um filho de presidente dos Estados Unidos é condenado criminalmente. 

O júri do julgamento por posse ilegal de arma de fogo contra Hunter Biden, filho do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden foi retomado nesta terça-feira e em poucas horas os jurados determinaram que Hunter é culpado da acusação de porte ilegal de arma de fogo. Na segunda-feira, os promotores e a equipe de defesa de Hunter Biden apresentaram seus argumentos finais, e o júri se reuniu por cerca de uma hora.

O julgamento ocorre enquanto Joe Biden, pai de Hunter, busca a reeleição e menos de duas semanas após Donald Trump, o provável candidato presidencial republicano em novembro, ter sido condenado por fraude de documentos fiscais. 

Hunter Biden é considerado o filho problemático de Joe Biden e é o único filho vivo do presidente dos Estados Unidos. Hunter já escreveu sobre seu vício e afirmou que não se considerava um viciado no momento da compra da arma, ele assegura que não consome drogas desde 2019.

As informações são do Correio Braziliense.