Diario de Pernambuco
Busca

RÚSSIA

Destacamento naval russo com submarino nuclear visitará Cuba na próxima semana

Visita ocorre um mês depois de o presidente cubano ter acompanhado Vladimir Putin na capital russa na parada da vitória soviética contra os nazistas em 1945
Por: AFP

Publicado em: 10/06/2024 17:39

Visita foi anunciada pelo Ministério das Forças Armadas Revolucionárias (Minfar) (foto: AFP)
Visita foi anunciada pelo Ministério das Forças Armadas Revolucionárias (Minfar) (foto: AFP)

Um destacamento naval russo, incluindo o submarino de propulsão nuclear Kazan, visitará Cuba na próxima semana, anunciou o Ministério das Forças Armadas Revolucionárias (Minfar) nesta quinta-feira (06), enfatizando que essas embarcações não carregam armas atômicas e não representam uma “ameaça à região”.

 

A flotilha, que também incluirá a fragata “Admiral Gorshkov”, o petroleiro “Pashin” e o rebocador de salvamento “Nikolai Chiker”, fará uma visita oficial ao porto de Havana de 12 a 17 de junho, disse o Minfar em um comunicado publicado no site do Ministério das Relações Exteriores de Cuba.

 

“Nenhum dos navios é um porta-armas nuclear, portanto, sua parada em nosso país não representa uma ameaça para a região”, acrescentou o ministério, especificando que se trata de uma visita que “cumpre estritamente os regulamentos internacionais dos quais Cuba é um Estado parte” e responde às “relações históricas de amizade” entre Havana e Moscou.

 

A visita a Cuba deste destacamento naval ocorre um mês depois de o presidente Miguel Díaz-Canel ter acompanhado Vladimir Putin na capital russa na parada da vitória soviética contra os nazistas em 1945, em plena tensão com as potências ocidentais pelo conflito na Ucrânia.

 

Desde o início dessa aproximação, várias delegações oficiais e empresariais viajaram para os dois países para promover projetos de investimento.

 

Outra flotilha da marinha russa, que incluía essa fragata, visitou Cuba em 2019, em um momento de alta tensão entre Havana e Washington, após a chegada ao poder do republicano Donald Trump (2017-2021).

 

Por mais de seis décadas, Washington impôs um embargo comercial a Cuba que Trump reforçou ao incluir a ilha em sua lista negra de patrocinadores do terrorismo.

 

Joe Biden, seu sucessor democrata, manteve a ilha nessa folha de pagamento e não alterou substancialmente essas sanções.

 

A Rússia também enfrenta sanções comerciais dos Estados Unidos e da União Europeia após a guerra com a Ucrânia.