Diario de Pernambuco
Busca

GUERRA

Rússia faz novo ataque maciço contra centrais elétricas da Ucrânia

Ataques causaram não apenas sérios danos nas centrais elétricas do país, mas também em áreas residenciais

Publicado em: 08/05/2024 11:07

Um residente local examina uma casa destruída por um ataque de mísseis na aldeia de Krasylivka, região de Kiev, em meio à invasão russa na Ucrânia (Foto: ANATOLII STEPANOV / AFP
)
Um residente local examina uma casa destruída por um ataque de mísseis na aldeia de Krasylivka, região de Kiev, em meio à invasão russa na Ucrânia (Foto: ANATOLII STEPANOV / AFP )
Na madrugada desta quarta-feira, as forças russas lançaram um novo ataque em larga escala contra a Ucrânia, à quinta ofensiva à rede de energia desde o início do ano. De acordo com a DTEK, maior empresa privada no setor energético ucraniano, três centrais térmicas ficaram gravemente danificadas, acrescentando que as suas instalações já foram bombardeadas cerca de 180 vezes desde o início da guerra.
 
A capital Kiev e as cidades de Lviv e Zaporizhia foram fortemente atingidas. Os ataques causaram não apenas sérios danos nas centrais elétricas do país, mas também em áreas residenciais.
 
O governo ucraniano alertou para cortes de eletricidade em várias zonas do território e informou que os maciços bombardeios russos visaram, sobretudo, a rede de energia e causou pelo menos uma morte e dezenas de feridos. “O inimigo não desiste dos seus planos para privar os ucranianos de luz. Mais um ataque em massa à nossa indústria energética. Os ataques miraram instalações de produção e transporte de eletricidade nas regiões de Poltava, Kirovograd, Zaporizhia, Lviv, Ivano-Frankivsk e Vinnytsia", comunicou Guerman Galushchenko, ministro da Ucrânia de Energia.
 
Já a Força Aérea da Ucrânia disse ter abatido 39 dos 55 mísseis lançados pela Rússia e 20 dos 21 drones.
 
Segundo o governador de Kherson, Oleksandre Prokoudine, a cidade também foi parcialmente privada de eletricidade devido aos ataques nas centrais térmicas e hidroelétricas, que ainda sofreu bombardeios nas infraestruturas ferroviárias, essenciais para o comércio, o transporte civil e o abastecimento militar da Ucrânia, uma vez que todo o tráfego aéreo civil está paralisado desde o início da invasão russa.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky denunciou o terror russo. “No 8 de maio, que assinala o dia da comemoração da vitória contra o nazismo durante a II Guerra Mundial, Putin, o nazi, lançou um ataque maciço contra a Ucrânia. O mundo não deve dar a mínima chance ao novo nazismo”, defendeu, apelando aos seus aliados para que forneçam mais ajuda militar.
Tags: ataque | guerra | rússia | ucrânia |