Diario de Pernambuco
Busca

GUERRA

Rússia e Ucrânia trocam acusações sobre ataque a usina nuclear

Forças russas assumiram o controle de Zaporizhia em 2022, pouco depois da invasão da Ucrânia

Publicado em: 08/04/2024 11:28

Central nuclear de Zaporizhia (Foto: Ed Jones/AFP)
Central nuclear de Zaporizhia (Foto: Ed Jones/AFP)
O Governo russo acusou a Ucrânia de ter atacado a central nuclear de Zaporizhia por três vezes, no domingo (7), e exigiu uma resposta do Ocidente. Mas, Kiev já negou os ataques com drones a um dos seis reatores. 
 
As forças russas assumiram o controle de Zaporizhia em 2022, pouco depois da invasão da Ucrânia. Desde então, Moscou e Kiev se acusam repetidamente de arriscarem um acidente nuclear ao atacarem à central.
 
"Os ataques russos, incluindo os de imitação, no território da central nuclear ucraniana são há muito uma prática criminosa bem conhecida dos invasores", afirmou Andriy Usov, porta-voz dos Serviços Secretos da Ucrânia.
 
Em contrapartida, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, instou os líderes mundiais a condenar o ato de "terrorismo nuclear".  Zakharova ainda questionou quantas vezes mais a Ucrânia iria pôr em perigo a segurança nuclear na central antes de os líderes ocidentais tomarem medidas. 

Por sua vez, o diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, condenou os ataques e declarou que esta foi à primeira vez, desde novembro de 2022, que um ataque atingiu diretamente a maior central da Europa, quando se instituíram cinco princípios básicos para evitar um acidente nuclear com consequências graves.

"Este é um grande agravamento dos perigos de segurança nuclear que a central de Zaporizhia enfrenta. Estes ataques imprudentes aumentam significativamente o risco de um acidente nuclear de grandes proporções e devem cessar imediatamente. Atacar uma central nuclear é absolutamente proibido", enfatizou Grossi, acrescentando que apesar de os danos na unidade não terem comprometido a segurança nuclear, este foi um incidente grave que teve o potencial de comprometer a integridade do sistema de contenção do reator.

Numa declaração separada, o sistema de vigilância nuclear da usina também confirmou o impacto físico dos ataques de drones na central, sendo registrada até o momento uma vítima. "Os danos na unidade seis não comprometeram a segurança nuclear, mas se trata de um incidente grave com potencial para comprometer a integridade do sistema de contenção do reator", diz o comunicado. 
 
"A central nuclear de Zaporizhia foi sujeita a uma série de ataques com drones, uma ameaça direta à segurança da central. "Os níveis de radiação na central nuclear e na área circundante não mudaram", reiterou a Rosatom, corporação nuclear estatal da Rússia, Rosatom.
 
Os reatores de Zaporizhia estão desligados há meses, mas a central permanece precisando de energia e de funcionários para operar os sistemas de refrigeração cruciais e outros dispositivos de segurança.
Tags: guerra | rússia | ucrânia |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.