Diario de Pernambuco
Busca

GUERRA

Biden anunciará construção de porto para ajuda humanitária em Gaza

Assistência humanitária ao enclave palestino está sendo bloqueada pelas forças israelenses há várias semanas

Publicado em: 07/03/2024 15:52

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Foto: CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Foto: CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve anunciar nesta quinta-feira (7) a construção pelo exército norte-americano de um porto na costa da Faixa de Gaza para permitir a entrega em larga escala de ajuda aos palestinos. A assistência humanitária ao enclave palestino está sendo bloqueada pelas forças israelenses há várias semanas e são muitos os relatos de crianças e mulheres que estão morrendo de fome devido a este cerco ao território.
 
Nos últimos dias houve alimentos que foram jogados através de aviões que sobrevoaram a região, mas é ideia consensual na comunidade internacional que essa é uma opção que não resolve a extensão da crise humanitária sem precedentes que assola o povo palestino.
 
É estimado que mais de um milhão de deslocados estejam neste momento incapazes de se proteger e de se alimentar. O governo de Tel Aviv ainda promete endurecer mais o cerco à Faixa de Gaza com a incursão maciça das suas tropas na cidade de Rafah diante da falta de um acordo que liberte os reféns capturados em Israel. Com a aproximação do Ramadã, mês sagrado dos muçulmanos, os Estados Unidos, Egito e Catar buscam mediar uma curta trégua na guerra para tentar para ganhar tempo. 
 
Ontem, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, declarou que a União Europeia está trabalhando para estabelecer um possível corredor humanitário de apoio à população da Faixa de Gaza através do Mediterrâneo. O ministro das Relações Exteriores britânico, David Cameron, também disse que iria apelar ao governo do primeiro-ministro de Israel a entrada de alimentos, combustível e medicamentos ao enclave.
 
Catástrofe humanitária
 
Segundo a Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde, a situação humanitária se agrava a cada dia que passa, onde pelo menos um quarto da população passa fome e esta desnutrida, sendo que muitos palestinos já morreram de inanição. A porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Tess Ingram, também relatou que testemunhou horrores em Gaza, onde milhares de crianças já morreram de fome e de doença e outras tantas estão com a vida por um fio.
 
“Nunca pensei assistir a tanto horror durante a visita de uma semana, a trabalho, que fiz sul e ao centro de Gaza. A situação das crianças é inacreditável. As pessoas vivem em condições muito inseguras, não só por causa das bombas e dos tiros, mas também por causa da crise humanitária no terreno, sendo as crianças, as grávidas e as mulheres que acabaram da dar à luz os casos mais assustadores. As crianças não estão recebendo alimentos suficientes para comer. Quase não têm acesso a água potável. Vivem ao frio, debaixo de lonas de plástico. Conheci crianças que não tinham sapatos nem casacos, num período que agora é o mês de inverno. Muitas crianças estão exaustas. Têm fome, estão traumatizadas com o que viram e estão doentes porque estão bebendo água contaminada, não estão vestidas adequadamente, estão expostas aos elementos e vivem em espaços muito lotados onde é muito fácil a propagação de doenças. Não há lugar para uma criança e não há lugar seguro na Faixa de Gaza para onde estas crianças possam ir”, enfatizou Ingram.
 
Desde o início do conflito, já morreram quase 31 mil palestinos e há aproximadamente 72 mil ficaram feridos, além de milhares de desaparecidos.
Tags: eua | guerra | gaza | israel |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.