Diario de Pernambuco
Busca

DIPLOMACIA

Paquistão pretende restabelecer relações diplomáticas com o Irã

Disputa entre os dois países já resultou em confrontos armados nos últimos dias

Publicado em: 19/01/2024 15:07

 (Foto: Unsplash)
Foto: Unsplash
De acordo com o canal GeoTV, do Paquistão, o governo do país decidiu nesta sexta-feira (19) terminar com a disputa com o Irã, que já resultou em confrontos armados entre ambos nos últimos dias. A notícia da emissora ainda afirma que Islamabad apoia o restabelecimento das relações diplomáticas com Teerã. 
 
O ministério das Relações Exteriores do Paquistão também declarou hoje não ter “interesse ou desejo” numa escalada com o Irã.
 
Mas, essas ofensivas sem precedentes entre as nações vizinhas aumentaram a escalada de tensão no Oriente Médio nesta semana. 
 
O Irã e o Paquistão têm um ‘inimigo’ em comum, os separatistas baluchi, que vive na região fronteiriça entre os dois países, a província Baluchistão paquistanesa e o Sistão e Baluchistão iranianos. Os militantes separatistas baluchis são muçulmanos sunitas, o que os torna uma minoria étnica e religiosa no Irã, um país predominantemente xiita. Enquanto no Paquistão, a maioria é sunita. No entanto, apesar de compartilharem o mesmo inimigo na região balúchi e a tensão ser frequente nos dois lados da fronteira, é muito raro que qualquer uma das partes faça ataques no território um do outro. 
 
Entretanto, na terça-feira (16), Teerã realizou ofensivas na província paquistanesa do Baluchistão, que provocou a morte de duas crianças além de ferir diversas pessoas. O governo iraniano alegou que somente tinha como alvo redutos do grupo militante sunita Jaish al-Adl em solo paquistanês. O Irã, assim como os EUA, classifica o grupo como uma "organização terrorista" e que, segundo Teerã, cometeram nos últimos meses vários ataques. 
 
Por sua vez, Islamabad qualificou o ataque como uma violação flagrante do direito internacional e do espírito das relações bilaterais entre o Paquistão e o Irã. O Paquistão também reagiu e fez ataques contra supostos esconderijos separatistas no Sistão e Baluchistão iranianos. O Ministério das Relações Exteriores paquistanês revelou que inúmeros militantes foram mortos. Em contrapartida, autoridades iranianas afirmaram que três mulheres e quatro crianças morreram nos bombardeios. 
 
Enquanto isso, o grupo militante separatista atua em ambos os lados da fronteira Irã-Paquistão e já reivindicou anteriormente a autoria por ataques contra alvos iranianos. O seu objetivo é a independência das províncias iranianas do Sistão e Baluchistão.
Tags: irã | paquistão |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.