Diario de Pernambuco
Busca

FRANÇA

Agricultores franceses tentam bloquear acesso a Paris

Sindicatos do setor convocaram a mobilização que 'ameaça' paralisar a cidade e já avisaram que os bloqueios são por tempo indeterminado

Publicado em: 29/01/2024 13:51

Agricultores estão bloqueando com tratores os principais acessos a Paris (Foto: SAMEER AL-DOUMY / AFP
)
Agricultores estão bloqueando com tratores os principais acessos a Paris (Foto: SAMEER AL-DOUMY / AFP )
Após uma semana de protestos em todo o país, os agricultores estão nesta segunda-feira (29) bloqueando com tratores os principais acessos à capital da França. Os sindicatos do setor convocaram a mobilização que ‘ameaça’ paralisar Paris e já avisaram que os bloqueios são por tempo indeterminado. 
 
Para o presidente do principal sindicato agrícola francês, a Federação Nacional dos Sindicatos dos Operadores Agrícolas (FNSEA), Arnaud Rousseau, esta será “uma semana cheia de perigos, ou porque o Governo não nos ouve, ou porque a cólera será tal que cada um assumirá as suas responsabilidades". Mas, Rousseau mesmo assim apelou ainda por calma e determinação aos agricultores, para que evitem incidentes. 
 
Com a ameaça de “cerco” a capital francesa, o primeiro-ministro da França, Gabriel Attal, tentou no domingo acalmar os ânimos dos agricultores e anunciou a possibilidade de medidas “adicionais” para proteger a agricultura do país. "Quero que as coisas sejam esclarecidas e quero ver que medidas adicionais podem ser tomadas para lidar com esta concorrência desleal. Não está certo que sejamos impedidos de utilizar determinados produtos, quando países vizinhos, a Itália ou outros os podem utilizar”, afirmou aos profissionais do setor.

No entanto, apesar das medidas anunciadas, os agricultores estão determinados a manter a pressão sobre o governo, pois consideram insuficientes os anúncios já feitos por Attal. A categoria agrária do país reclama dos baixos salários e pensões, da burocracia administrativa, além da concorrência estrangeira e à imposição de restrições ambientais. 
 
Por sua vez, o governo da França se comprometeu a apresentar novas medidas para o setor, nas próximas 48 horas. “Entendo o mal-estar e inquietação dos agricultores atualmente. Mas vamos avançar, com determinação e rapidez”, prometeu o primeiro-ministro.
 
As autoridades francesas também mobilizaram 15 mil policiais para minimizar o impacto do bloqueio. O ministro francês do Interior, Gérald Darmanin, firmou que quer evitar bloqueios, principalmente, dos aeroportos de Paris e do mercado de Rungis, o maior mercado de produtos frescos do país, além de impedir qualquer entrada em Paris. "A postura continua a mesma: a polícia deve agir com muita moderação, e só intervir em último recurso, caso a integridade das pessoas seja ameaçada ou em caso de danos graves nos edifícios”, assegurou Darmanin.
Tags: protesto | frança |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.