Diario de Pernambuco
Busca

RETROSPECTIVA

Retrospectiva: relembre 13 fatos que marcaram o mundo em 2023

Ano ficou marcado pelo fim da emergência global do coronavírus, da coroação do rei Charles III no Reino Unido, pela guerra entre Israel e Hamas e mais; confira

Publicado em: 31/12/2023 11:52 | Atualizado em: 31/12/2023 11:58

Nos últimos 12 meses, o mundo vivenciou vários acontecimentos que ficarão marcados na história (crédito: Jack Guez/AFP; Handout / OceanGate Expeditions / AFP; Presidência da Argentina)
Nos últimos 12 meses, o mundo vivenciou vários acontecimentos que ficarão marcados na história (crédito: Jack Guez/AFP; Handout / OceanGate Expeditions / AFP; Presidência da Argentina)

A coroação de um novo rei no Reino Unido, o fim da emergência global do coronavírus, a ascensão de um líder de extrema-direita na Argentina, uma nova guerra no Oriente Médio, protestos, novas viagens a Lua. Nos últimos 12 meses, o mundo vivenciou momentos que ficarão marcados na história.

 

Tensão agravada entre EUA e China

 

Ainda no começo do ano, em 4 de fevereiro, os Estados Unidos abateram um balão, que sobrevoava o espaço aéreo estadunidense e tinha 60 metros de altura. O objeto abatido rapidamente foi acusado de espionagem e aumentou a tensão do país com a China.

 

Na época, a China afirmou que o balão tinha finalidade meteorológica e que teria desviado o curso. Mesmo assim, a tensão entre os países se manteve, tendo inclusive o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, adiado uma visita diplomática a Pequim.

 

Roteristas, diretores e atores de Hollywood em greve

 

Em 2023 Hollywood parou em um movimento que não era visto desde 2008 e que durou 191 dias, a partir da paralização dos roteiristas. O primeiro a engatar no movimento foi o Sindicato dos Roteiristas de Hollywood (WGA, na sigla em inglês), seguidos posteriormente pelo Sindicato dos Atores e Profissionais de mídia de Hollywood (SAG-AFTRA, em inglês), em julho.

 

Entre as demandas do WGA, estavam propostas de melhores salários em meio a grande concorrência de streamings e a regulamentação de inteligência artificial e ferramentas como o ChatGPT, potencial instrumento que desvalorizaria o trabalho de roteiristas.

 

Já o SAG-AFTRA entrou em greve após proporem a revisão dos royalties das plataformas de streaming, para as quais as produções são enviadas após saírem dos cinemas, e os estúdios negarem. Além disso, o uso indiscriminado de inteligência artificial dentro das produções também era um dos pontos essenciais para a conclusão do acordo. A greve chegou ao fim em 8 de novembro oficialmente, quando o SAG-AFTRA aceitou os termos de negociação.


Fim da emergência global de covid-19

 

Três anos e quatro meses depois de declarar a covid-19 uma emergência sanitária internacional, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, decidiu suspender a classificação em 5 de maio.

 

O decreto, contudo, ficou marcado pelo alerta e ressalve de que, apesar da fase de emergência ter se encerrado, a covid ainda existe e as recomendações de cuidados permaneceram as mesmas.

 

Reino Unido coroa novo rei

 

Pela primeira em 70 anos, o Reino Unido presenciou a coroação de um novo monarca, após a morte da rainha Elizabeth II, em 8 de setembro de 2022. O primogênito Charles, que já ocupava o cargo de rei desde o falecimento da rainha, foi coroado, diante de 2.200 convidados, na Abadia de Westminster, em Londres, em 6 de maio.

 

A cerimônia foi marcada pela coroação da esposa dele, Camilla, como rainha consorte, pela participação do neto mais velho, George, na cerimônia, e pela presença dos dois filhos de Charles, William e Harry, após rumores de estreitamento da relação na família.

 

Protestos por justiça e contra a reforma da Previdência

 

A França foi palco para duas longas ondas de protestos marcados por violência. A primeira, em maio, ocorreu devido a insatisfação da população com as reformas previdenciárias anunciadas pelo presidente Emmanuel Macron.

 

A segunda, ocorreu em julho, após a morte de um jovem de 17 anos com um um tiro à queima-roupa por um agente durante um blitz em Nanterre, subúrbio de Paris. A onda de distúrbios foi a mais grave em 18 anos.

 

Mega-acidente de trem na Índia mata 275 pessoas

 

Em 2 de junho um mega-acidente envolvendo um trem matou 275 pessoas na cidade cidade de Balasore, no estado de Odisha, na Índia. Ao todo quatro vagões do trem Coromandel Express descarrilaram.

 

A causa do acidente foi divulgada dias depois pelas autoridades e teria ocorrido por conta de uma falha no sistema de sinalização. Mais de 900 pessoas ficaram feridas.

 

A implosão do submersível da OceanGate

 

Em 18 de junho, o mundo se surpreendeu com a notícia do desaparecimento do submersível Titan, da empresa OceanGate, que fazia turismo subaquático para os destroços do Titanic. Foram quatro dias de buscas pelo submersível até que em 22 de junho a Guarda Costeira dos EUA confirmou a morte dos tripulantes, por causa de uma "implosão catastrófica". 

 

5 pessoas estavam na embarcação quando ela explodiu: Stockton Rush, presidente da OceanGate; Shahzada e Suleman Dawood, pai e filho que faziam parte de uma das famílias mais ricas do Paquistão; Paul-Henry Nargeolet, especialista renomado sobre o Titanic; e Hamish Harding, presidente da Action Aviation, empresa de serviços de vendas e operações de aviação com sede em Dubai.

 

Tomada de poder no Niger e no Gabão

 

O ano do continente africano ficou marcado por dos golpes de Estado com 32 dias de diferença. O primeiro ocorreu no Níger (em 26 de julho) com o exército derrubando o presidente do país, Mohamed Bazoum e criticou o que chamaram de "contínua deterioração da situação de segurança e má gestão econômica e social".

 

O segundo ocorreu no Gabão, em 30 de agosto, quando um porta-voz da junta militar golpista anunciou na televisão estatal que o então presidente Ali Bongo Ondimba estava sendo mantido em prisão domiciliar, acompanhado da família e de médicos. Os militares justificaram a ação de colocar um fim no regime como forma de "defender a paz".

 

Índia faz pouso histórico no polo sul da Lua

A missão indiana Chandrayaan-3 fez história ao se tornar a primeira a conseguir pousar uma espaçonave nos arredores do polo sul da Lua.

 

Até então, EUA, a antiga União Soviética e a China haviam conseguido chegar perto do equador lunar, mas nenhuma missão com destino ao polo sul foi bem-sucedida.


Terremotos e desastres naturais

 

2023 foi um ano em que foram registrados vários desastres naturais. Os terremotos foram um dos mais mortais. No Marrocos, em setembro, o terremoto mais forte em 120 anos, registrou magnitude 6,8 e matou mais de mil pessoas.

 

Além deste, houve terremotos na Turquia e Síria, em fevereiro, e na China e nas Filipinas, em dezembro.

 

Crise humanitária na Faixa de Gaza

 

Em 7 de outubro, o grupo fundamentalista islâmico Hamas, da Palestina, invadiu Israel um ataque surpresa e com mais de 2,5 mil foguetes. Após a invasão, Israel declarou guerra contra o grupo.

 

O conflito, que ainda não acabou, movimentou várias esferas da política mundial, com vários países intervindo para achar soluções diplomáticas na troca de reféns, até discussões mais intensas sobre a origem do conflito.

 

A Faixa de Gaza, território de 41 km de comprimento e 10 km de largura entre Israel, Egito e o Mar Mediterrâneo e que é controlada pelo Hamas, se tornou campo de batalha no conflito, sendo a principal zona de ataques. Mais de 10 mil pessoas já morreram na guerra.

 

Ascensão de Milei na Argentina

 

O povo argentino definiu em 19 de novembro quem seria o novo presidente do país. Na disputa no segundo turno estavam o ministro da Economia Sergio Massa e o economista da extrema direita, Javier Milei.

 

Milei foi um candidato controverso com promessas de "dinamitar" o Banco Central, cortar os gastos públicos, reduzir ao mínimo o papel do Estado e acabar com a "casta política e ladra" e se elegeu com 55% dos votos.

 

O novo presidente tomou posse em 10 de dezembro e viu, ainda no primeiro mês de mandato, a população indo às ruas protestar contra as primeiras medidas anunciadas pelo governo.

 

COP28 e declaração que "deixou a desejar"

 

A 28ª edição da Conferência de Mudanças Climáticas das Nações Unidas ocorreu em 2023, na Arábia Saudita, e tinha previsão de término em 12 de dezembro. No entanto, o evento foi extendido até o dia 14 para conseguir chegar a um consenso sobre combustíveis fósseis.

 

O acordo final, foi considerado um avanço ao determinar uma redução gradual do uso de combustíveis fósseis a fim de diminuir a emissão de gases de efeito estufa. Contudo, o texto não agradou a todos, uma vez que não especifica com poderá ser feita a transição energética e nem sobre quais recursos devem ser utilizados. A maior critica, no entanto, foi ao fato de que o texto não cita metas para alcançar a redução e não fala na eliminação total dos combustíveis fósseis. 

 

As informações são do Correio Braziliense. 

Tags: retrospectiva | mundo | 2023 |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.