Diario de Pernambuco
Busca

GUERRA

ONU alerta para o risco de crimes atrozes em Gaza

Organização também negou que esteja desvalorizando os alegados atos de violência sexual cometidos pelo Hamas no ataque a Israel

Publicado em: 06/12/2023 13:37

ONU apelou às partes envolvidas a se absterem de cometer tais violações (Foto: Dawood NEMER / AFP)
ONU apelou às partes envolvidas a se absterem de cometer tais violações (Foto: Dawood NEMER / AFP)
O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Volker Turk, alertou nesta quarta-feira (6) para um aumento do risco de crimes atrozes em Gaza, apelando às partes envolvidas a se absterem de cometer tais violações. 
 
"Os meus colegas humanitários descreveram a situação como apocalíptica. Nestas circunstâncias, existe um risco aumentado de crimes atrozes. Medidas precisam ser tomadas com urgência, tanto pelas partes envolvidas e por todos os Estados, especialmente aqueles com influência, para prevenir tais crimes", declarou Turk.
 
Para agravar a situação do enclave palestino, uma tempestade assola a região e piora a situação humanitária com milhares de pessoas deslocadas e vivendo a céu aberto.
 
A ONU também negou hoje que esteja desvalorizando os alegados atos de violência sexual cometidos pelo Hamas no ataque a Israel, apontando que há quase um mês aguarda pela autorização de Tel Aviv para investigar as alegações. 
 
Volker Turk ao ser confrontado com as críticas de representantes políticos e ativistas israelitas de que as Nações Unidas se remete ao silêncio sobre o caso, rejeitou tais acusações e enfatizou que o seu gabinete leva extremamente a sério as alegações. “É dolorosamente claro que estes ataques têm de ser totalmente investigados para garantir justiça às vítimas. Na segunda semana de outubro, logo a seguir aos ataques de 07 de outubro, pedi autorização às autoridades israelitas para enviar uma equipe, a minha equipe, para monitorizar, documentar e investigar os ataques horrendos a israelitas. Já insisti neste pedido, e acredito que será atendido, mas até agora não recebi resposta”, afirmou.
 
O responsável da ONU apontou ser muito claro que as formas atrozes de violência sexual devem ser investigadas, para que seja feita justiça, mas explicou que para isso é exigido um trabalho complexo de documentação.

Tags: onu | guerra | hamas | gaza | israel |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.