Diario de Pernambuco
Busca

DESASTRE

Na África, quase 300 mortos e milhões de deslocados devido as inundações

Chuvas torrenciais e inundações no nordeste Africano atingiram a Somália, o Quênia e a Etiópia

Publicado em: 01/12/2023 13:58 | Atualizado em: 01/12/2023 14:26

Região tem sido afetada há semanas por fortes tempestades e enchentes ligadas ao fenômeno meteorológico El Niño (Foto: AFP)
Região tem sido afetada há semanas por fortes tempestades e enchentes ligadas ao fenômeno meteorológico El Niño (Foto: AFP)
De acordo com os dados divulgados pelas Nações Unidas (ONU), as chuvas torrenciais e as inundações no nordeste Africano, que atingiram a Somália, o Quênia e a Etiópia, deslocaram mais de dois milhões de pessoas e mataram quase 300.
 
Após sofrer a pior seca dos últimos 40 anos, a região também está sendo afetada há semanas por fortes tempestades e enchentes ligadas ao fenômeno meteorológico El Niño, geralmente associado ao aumento das temperaturas, às secas em algumas partes do mundo e às chuvas fortes em outras e, que deverá continuar até abril.
 
Segundo a agência de coordenação humanitária da ONU para a região (OCHA), a Somália tem um milhão de pessoas deslocadas e cerca de uma centena de mortos, já na Etiópia são 600 mil deslocados e 57 mortos, enquanto no Quênia 460 mil pessoas tiveram que ser deslocadas de suas casas e 136 morreram.
 
"É uma situação desastrosa. As regiões que lutavam para se recuperar dos impactos econômicos e ambientais de uma seca prolongada são agora duplamente atingidas pelas inundações", disse em um comunicado a ONG Action contre la Faim (Ação contra a fome). 
 
A ONU informou ainda que a previsão seja de que as chuvas inundem pelo menos 1,5 milhões de hectares de terras agrícolas até dezembro, sendo que os temporais já destruíram inúmeras plantações, danificaram estradas e pontes, além de hospitais e escolas.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.