Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

Ministros da OMC buscam superar diferenças sobre vacinas e pesca

Por: AFP

Publicado em: 16/06/2022 09:38

 (Foto: Fabrice COFFRINI / AFP)
Foto: Fabrice COFFRINI / AFP
Os ministros dos 164 países membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) continuam nesta quinta-feira (16) a buscar acordos sobre patentes de vacinas contra a Covid-19, pesca e segurança alimentar.

"A Décima Segunda Conferência Ministerial da OMC é prorrogada mais um dia para facilitar a obtenção de resultados", até quinta-feira, 16 de junho, escreveu a organização em sua conta no Twitter.

Os ministros, reunidos em Genebra desde domingo, trabalharam a noite toda na esperança de encontrar acordos concretos, mas até agora não há informações sobre um consenso sobre a pesca ou as vacinas contra a Covid-19, os dois principais temas da reunião.

"Estamos otimistas de que podemos alcançar resultados positivos", disse à AFP o ministro do Comércio da Nova Zelândia, Damien O'Connor, sem dar mais detalhes. 

No entanto, nada é garantido, uma vez que as decisões nesta organização são tomadas por consenso.

Vários diplomatas lamentaram a intransigência da Índia em várias questões, incluindo subsídios à pesca, que contribuem para a pesca excessiva, e a extensão da moratória sobre tarifas para transmissões eletrônicas.

"A Índia sempre foi um parceiro comercial relutante. É conhecida por sua relutância em assinar acordos de livre comércio", comentou à AFP Harsh V. Pant, professor do King's College de Londres.

"A Índia agora sente que tem mais espaço de manobra do que no passado", acrescentou o especialista em política internacional de Nova Délhi. 

ONGs já haviam acusado a Índia de impedir a conclusão do acordo de pesca na anterior reunião ministerial da OMC, realizada no final de 2017 em Buenos Aires. 

A organização não chegou a nenhum acordo importante desde sua conferência ministerial de 2013, em Bali. 

Desde sua chegada, em março de 2021, à chefia da OMC, a nigeriana Ngozi Okonjo-IwealaNgozi tem se esforçado para recuperar o protagonismo da organização, principalmente diante da pandemia de Covid-19. 

Esse problema é uma das principais pastas sobre a mesa. Há dois textos em discussão: um sobre o levantamento temporário das patentes de vacinas anticovid e outro para facilitar o comércio de produtos médicos necessários ao combate às pandemias.

Por outro lado, as negociações sobre a pesca, que começaram há mais de 20 anos, querem proibir certas formas de subsídios que incentivam a pesca excessiva ou a pesca ilegal. 

Algum progresso foi feito nos últimos meses, mas a Índia está exigindo um período de isenção de 25 anos para a proibição de subsídios que contribuem para a pesca excessiva, enquanto o projeto de acordo tem como meta 2030.

Também entre as preocupações dos ministros está a grave crise alimentar global causada pela invasão russa da Ucrânia, que fez com que os preços dos alimentos subissem. 

Uma declaração sobre restrições às exportações está em discussão.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Grupo Diario de Pernambuco