Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

MANIFESTAÇÃO

Manifestantes lançam líquido vermelho em embaixador russo na Polônia

Por: AFP

Publicado em: 09/05/2022 14:50

 (crédito: Wojtek RADWANSKI / AFP)
crédito: Wojtek RADWANSKI / AFP
O embaixador russo na Polônia, Serguei Andreev, foi atingido por um líquido vermelho, jogado por ativistas pró-ucranianos em Varsóvia ao chegar para uma homenagem por ocasião do aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, um incidente que a Rússia denunciou imediatamente.

Segundo um fotógrafo da AFP presente no local, ativistas que gritavam "fascistas" e levantavam a bandeira nacional da Ucrânia, bloquearam a passagem do embaixador, que se dirigia para depositar flores no cemitério de Varsóvia, onde descansam os soldados soviéticos mortos durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 9 de maio de 1945, os russos celebraram a vitória contra a Alemanha nazista.

Algumas pessoas então jogaram a substância vermelha em seu rosto e roupas, atingindo também as pessoas que o acompanhavam.

Após limpar o rosto com a mão, Andreev declarou: "Estou orgulhoso de meu país e de meu presidente".

Andreev disse à agência de notícias russa RIA Novosti que não se feriu durante o ataque, acrescentando que a substância vermelha era uma espécie de xarope.

O incidente foi denunciado imediatamente pela Rússia.

Maria Zakharova, porta-voz da diplomacia russa, informou que"os partidários do neonazismo mostraram de novo seu rosto e é sangrento".

A Rússia dirigiu um "forte protesto" às autoridades polonesas "por sua clemência com os jovens neonazistas".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Dr. Roberto Galvão Filho, oftalmologista
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco