Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIREITO

Homens e mulheres podem voltar a comer juntos em Herat, no Afeganistão

Por: AFP

Publicado em: 14/05/2022 14:17

 (Foto: Amber Clay/ Pixabay )
Foto: Amber Clay/ Pixabay
Homens e mulheres foram autorizados a comer juntos novamente nos restaurantes da cidade de Herat, no oeste do Afeganistão, onde as autoridades haviam tentado impor uma segregação de gênero, informaram, neste sábado (14), alguns estabelecimentos.  

"Foram suspensas as restrições e os restaurantes podem autorizar, outra vez, que as famílias comam juntas", declarou à AFP Jawad Tawangar, recepcionista de um restaurante em Herat. 

Um funcionário do Ministério de Promoção da Virtude e Prevenção do Vício em Herat, Riazullah Seerat, informou à AFP na quinta-feira que as autoridades tinham determinado a separação de homens e mulheres nos restaurantes.  

Segundo ele, os donos dos estabelecimentos foram avisados verbalmente da norma, que também deveria ser aplicada entre os casais.  

Vários gerentes de restaurantes e clientes confirmaram à AFP que a regra estava sendo aplicada na cidade. Contudo, neste sábado, as autoridades talibãs negaram tal proibição.  

"Essas informações são infundadas e falsas, negamos completamente [...] Nunca foi ordenado nada disso", afirmou, em comunicado, Mohammad Sadeq Afik Muhajir, porta-voz nacional do Ministério de Promoção da Virtude e Prevenção do Vício. 

Desde que retornou ao poder no ano passado, o Talibã vem restringindo as liberdades das mulheres, impondo formas de segregação entre ambos os sexos, em virtude de sua interpretação da sharia, a lei islâmica.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco