Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

FAMÍLIA REAL

Harry, Meghan e Andrew não estarão na varanda do Buckingham no Jubileu de Elizabeth II

Por: AFP

Publicado em: 06/05/2022 15:10

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
O príncipe Harry, sua esposa Meghan e seu polêmico tio Andrew não estarão presentes na varanda do Palácio de Buckingham no início das celebrações pelos 70 anos de reinado de Elizabeth II, anunciou nesta sexta-feira (6) a casa real britânica. 

"Após uma cuidadosa análise, a rainha decidiu que a tradicional aparição na sacada(...) na quinta-feira, 2 de junho, se limitará este ano à majestade e aos membros da família real que atendem a compromissos públicos oficiais em seu nome", informou um porta-voz do Palácio.

De 2 a 5 de junho, o Reino Unido celebrará quatro dias de festas pelo "Jubileu de Platina" que marca as sete décadas de Elizabeth II no trono, um recorde para uma monarca britânica.  

Elas começarão com o tradicional Trooping the Colour, o "Desfile de Bandeiras", apresentado anualmente no aniversário da rainha, embora não tenha sido celebrado desde o início da pandemia (foi cancelado em 2021 e 2020).
 
A imprensa britânica, focada nas crises da família real, esperava que Harry e Meghan, que se mudaram para a Califórnia -terra natal da ex-atriz americana- após deixar repentinamente a monarquia em 2020, se unissem à monarca na varanda, assim como o príncipe Andrew, terceiro filho da rainha, afastado da vida pública por sua relação com o falecido Jeffrey Epstein, condenado por pedofilia. 

Um total de 18 membros da família real, incluídos o príncipe herdeiro Charles e sua esposa Camila, seu filho William e a esposa Kate com seus três filhos, estarão na sacada para assistir ao grande desfile militar.  

Ainda que não seja um membro ativo da monarquia, o marido da princesa Anne, única filha de Elizabeth II, também estará presente, pelo "apoio" prestado à sua esposa durante seus compromissos, explicou Buckingham. 

A frágil saúde da rainha
 
Uma fonte do Palácio de Buckingham, citada pela agência de notícias britânica PA, não descartou que Harry, Meghan e Andrew participem de outros eventos do Jubileu. 

Um porta-voz de Harry, de 37 anos, e Meghan, de 40, garantiu que ambos estão "contentes e honrados por assistir às celebrações do Jubileu de Platina da rainha no mês de junho ao lado de seus filhos".
Seu filho Archie completou três anos nesta sexta-feira e sua filha Lilibet, que ainda não foi apresentada à monarca pessoalmente, completa um ano em 4 de junho, durante as homenagens a sua bisavó.

Andrew, de 62 anos, ficou longe dos holofotes até fevereiro, quando firmou um multimilionário acordo extrajudicial nos Estados Unidos com uma mulher que o acuso de agressão sexual quando era menor de idade e foi vítima do tráfico de jovens organizado por Epstein.

Ele fez uma polêmica aparição em 29 de março em uma missa em Londres em homenagem ao seu pai, o príncipe Philip, que morreu em abril de 2021.

Com crescentes problemas de mobilidade, a rainha aparece cada vez menos em público, sendo a última vez na homenagem a seu esposo na Abadia de Westminster.  

A saúde da rainha é motivo de preocupação desde outubro, quando médicos recomendaram repouso após passar uma noite internada para realizar exames não esclarecidos.
 
Desde então, Elizabeth II cancelou vários compromissos devido a dores na coluna e dificuldades para permanecer em pé e caminhar. Ela também contraiu Covid-19 em fevereiro, que, em suas palavras, a deixou "muito cansada". 

No entanto, na semana passada se reuniu no Castelo de Windsor com o presidente suíço, a quem recebeu sorridente e sem bengala. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco