Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

FENÔMENO NATURAL

Presidente do Turcomenistão promete fechar a famosa 'Porta do Inferno'

Publicado em: 11/01/2022 21:36

O local é uma importante fonte de turismo, diversas pessoas viajam o mundo para conhecer a cratera flamejante (Foto: Stefan Schinning/Flickr)
O local é uma importante fonte de turismo, diversas pessoas viajam o mundo para conhecer a cratera flamejante (Foto: Stefan Schinning/Flickr)
O presidente do Turcomenistão ganhou repercussão mundo afora nesta semana após uma polêmica declaração: o homem quer fechar a “Porta do Inferno”. O local foi aberto ainda na década de 1970 por uma expedição soviética. Até hoje a “Porta do Inferno” arde em chamas.

Na prática, a cratera do país asiático se mantém em combustão graças ao contato com uma fonte de gás natural, e é exatamente este o incômodo de Gurbanguly Berdymukhamedov — no poder do Turcomenistão há 15 anos. Ele defende que o produto poderia ser vendido e atualmente é desperdiçado.

"Estamos perdendo matérias-primas naturais de alto valor, das quais poderíamos obter lucro significativo e usá-las para melhorar o bem-estar de nosso povo", comentou.

Vale lembrar, contudo, que o local é uma importante fonte de turismo, diversas pessoas viajam o mundo para conhecer a cratera flamejante — que tem cerca de 70 metros de largura e 30 metros de profundidade.

Mesmo não sendo a primeira vez que um presidente turcomeno tenta fechar o local, Gurbanguly Berdymukhamedov está disposto a criar uma comissão de cientistas do mundo inteiro para estudar, e dar fim, ao local.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Ômicron começa a recuar nos Estados Unidos
Manhã na Clube: entrevista com Paulo Pimentel, advogado tributarista e professor da ITS EDU
Segundo a ONU, 2021 foi um dos sete anos mais quentes da História
Manhã na Clube: entrevistas com Leonardo Péricles e Dr. Heitor Albanez
Grupo Diario de Pernambuco