Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PANDEMIA

Governo da Bolívia suspende uso do cartão de vacinação por colapso no sistema

Por: AFP

Publicado em: 06/01/2022 18:40

 (Foto: LUIS GANDARILLAS / AFP
)
Foto: LUIS GANDARILLAS / AFP
A obrigação na Bolívia de portar o cartão de vacinação contra a Covid-19, que entrou em vigor este ano, fez disparar a procura por imunizantes, o que levou ao colapso dos centros de saúde, motivo pelo qual o governo decidiu nesta quinta-feira suspender o uso do documento.

A prefeitura de La Paz informou hoje que os pedidos de vacinação foram 10 vezes maiores em três hospitais municipais em uma semana. Já o secretário municipal de Saúde da cidade de Cochabamba (centro), Aníbal Cruz, disse à AFP que "veio uma avalanche de gente, que fez o sistema de vacinação entrar em colapso".

Cruz explicou que a pressão dos cidadãos por vacinas ultrapassou a capacidade de atendimento dos centros de saúde e obrigou o Executivo a suspender o pedido do documento de vacinação até o próximo dia 26. Segundo o Ministério da Saúde, a medida permitirá "melhorar os postos de vacinação e adaptá-los para evitar aglomerações".

Os locais de aplicação de vacinas apresentavam hoje uma queda na procura. O opositor Iván Arias, prefeito de La Paz, criticou o Poder Executivo: “Deveria-se promover a vacinação em massa, ao invés de retroceder na exigência do cartão." O secretário de Saúde de Cochabamba também lamentou a decisão do governo.

A Bolívia, de quase 12 milhões de habitantes, vacinou com duas doses mais de 3,7 milhões de pessoas, e com a dose única da Janssen, mais de 992 mil. O país soma 641.817 infectados e 19.848 mortos pela doença.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro cancela visita à Guiana devido à morte de sua mãe
Manhã na Clube: entrevista com Padre Arlindo
Ômicron começa a recuar nos Estados Unidos
Manhã na Clube: entrevista com Paulo Pimentel, advogado tributarista e professor da ITS EDU
Grupo Diario de Pernambuco