Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

JENS STOLTENBERG

Conselho da OTAN quer reunião para discutir garantias de segurança da Europa

Publicado em: 27/12/2021 15:29 | Atualizado em: 27/12/2021 15:44

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
Nesta segunda-feira (27), o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, anunciou que propôs convocar uma reunião do Conselho Rússia-OTAN no próximo dia 12 de janeiro.
 
“Considerando as preocupações da OTAN sobre as ações russas, qualquer diálogo com a Rússia deve ser realizado com base na reciprocidade, nos princípios importantes e nos documentos fundamentais da segurança européia, em coordenação com os parceiros europeus da Aliança", garantiu Stoltenberg.
 
No dia 17 de dezembro, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia publicou os projetos de acordo com os EUA e a OTAN sobre novas garantias recíprocas de segurança na Europa. Segundo Moscou, o projeto foi encaminhado e já recebido por todos os países da OTAN.
 
A chancelaria da Rússia disse estar considerando o convite para o encontro do Conselho Rússia-OTAN, em que é preciso decidir várias questões, inclusive a respeito da composição da delegação. "Estamos trabalhando no assunto. É preciso rever muitas questões, inclusive a composição da delegação. Como se sabe, em resultado das ações hostis da OTAN, não só não temos um embaixador, como não temos qualquer diplomata, representante militar credenciado junto da OTAN. Por isso, estamos revendo todas estas questões", declarou o vice-ministro das Relações Exteriores do país, Aleksandr Grushko. 
 
A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, reiterou a fala de Grushko, ao afirmar que a Rússia estava analisando a proposta da OTAN de realizar em janeiro uma reunião do Conselho Rússia-OTAN. Mas, Zakharova acrescentou ainda que seu governo se encontra disposto a efetuar um diálogo direto com a OTAN sobre os acordos de garantias de segurança, propostas por Moscou, e que buscam prevenir uma maior expansão da Aliança para leste e a implantação de armas próximo as fronteiras russas.
 
Já o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov foi categórico ao comunicar que a Rússia deve pôr fim à expansão da OTAN para leste e excluir a adesão da Ucrânia à Aliança. Além disso, Ryabkov declarou que, na normalização da situação de segurança atual, a prioridade é a diplomacia, porém que outros cenários de desenvolvimento dos acontecimentos continuam em aberto. De acordo com o MRE russo não tem como voltar ao passado, inclusive aos tempos da União Soviética, no entanto o país não pode tolerar mais o comportamento do Ocidente.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Augusto Coutinho (Solidariedade) e o psicólogo Carol Costa Júnior
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Grupo Diario de Pernambuco