Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

Xi Jinping realiza videoconferência com Biden

Publicado em: 18/11/2021 09:10

 (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução
O presidente chinês, Xi Jinping, realizou uma videoconferência com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na manhã desta terça-feira (16). Os dois lados tiveram uma conversa profunda sobre questões estratégicas, gerais e fundamentais em relação ao desenvolvimento do relacionamento China-EUA, bem como sobre questões importantes de interesse comum.

Na conversa, Xi Jinping salientou que, atualmente, tanto a China quanto os EUA estão em um estágio crítico de desenvolvimento, e a "aldeia global" da humanidade também está enfrentando muitos desafios. Como as duas principais economias do mundo e membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, os dois países devem fortalecer a comunicação e a cooperação, não apenas para tratar dos seus respectivos assuntos internos, mas também para assumir suas responsabilidades internacionais e promover conjuntamente a nobre causa da paz e do desenvolvimento humano. Esta é a visão compartilhada da China e dos EUA e dos povos do mundo, e uma missão comum dos líderes da China e dos EUA.

Xi Jinping disse ainda que promover o respectivo desenvolvimento dos dois países e manter um ambiente internacional pacífico e estável, incluindo respostas eficazes aos desafios globais como as mudanças climáticas e a pandemia de Covid-19, tudo isso requer um relacionamento saudável e estável. A China e os EUA devem se respeitar, conviver pacificamente e cooperar para uma situação vantajosa para ambas as partes. O líder chinês disse que está disposto a trabalhar com o presidente Biden para forjar um consenso e tomar medidas ativas para levar adiante o relacionamento China-EUA de uma maneira positiva. “Essa é uma necessidade para o benefício dos dois povos e é esperado pela comunidade internacional”, disse Xi Jinping.

Xi Jinping enfatizou ainda que a China e os EUA devem dar prioridade a quatro aspectos. Primeiro, assumir a responsabilidade como grandes potências para levar a comunidade internacional à cooperação na resposta comum aos desafios. Em segundo lugar, em espírito de igualdade e benefício mútuo, promover intercâmbios em todos os níveis e em todos os campos para injetar mais energia positiva nas relações China-EUA. Os dois países compartilham uma ampla gama de interesses comuns em muitas áreas, incluindo economia, energia, militar, aplicação da lei, educação, ciência e tecnologia, internet e proteção ambiental, e devem se esforçar para fazer ainda maior o "bolo" da cooperação sino-americana. Em terceiro lugar, os dois países devem controlar as diferenças e as questões sensíveis de maneira construtiva. A China certamente quer salvaguardar sua própria soberania, segurança e interesse de desenvolvimento, e espera que o lado estadunidense trate com cuidado as questões relacionadas a isso. Em quarto lugar, deve-se fortalecer a coordenação e a cooperação nas importantes questões internacionais e regionais e fornecer mais bens públicos para o mundo. A China e os EUA devem trabalhar em conjunto com a comunidade internacional para salvaguardar a paz mundial, promover o desenvolvimento global e manter uma ordem internacional justa e razoável.

Xi Jinping elaborou a posição e o princípio da China sobre a questão de Taiwan. Ele salientou que existe apenas uma só China no mundo, Taiwan é parte da China e o governo da República Popular da China é o único governo legítimo que representa a China. Os chineses são pacientes e dispostos a fazer o possível para lutar pela perspectiva da reunificação pacífica com a máxima sinceridade, mas se as forças da "independência de Taiwan" provocarem, ou mesmo romperem a linha vermelha, “teremos que tomar medidas resolutas”, disse Xi Jinping.

Sobre a questão de saúde pública, o líder chinês ressaltou que a atual pandemia provou mais uma vez que a humanidade é uma comunidade de futuro compartilhado. A China assumiu a liderança no fornecimento de vacinas contra Covid-19 aos países em desenvolvimento, com o valor acumulando de mais de 1,7 bilhão de doses de vacina e de insumos. “Também consideraremos as necessidades dos países em desenvolvimento e acrescentaremos novas doações”, acrescentou Xi Jinping.

Por sua vez, Biden disse que a relação EUA-China é a relação bilateral mais importante do mundo. “Quero reiterar inequivocamente que os Estados Unidos não procuram mudar o sistema da China, não procuram se opor à China através de uma aliança reforçada e não têm intenção de entrar em conflito com a China. O governo dos EUA está comprometido com a política de Uma Só China consistente e duradoura, não apóia a "independência de Taiwan" e espera que a região do Estreito de Taiwan permaneça pacífica e estável. Os EUA estão dispostos a trabalhar com a China com respeito mútuo e coexistência pacífica, para fortalecer a comunicação, reduzir mal-entendidos, resolver diferenças de maneira construtiva e aumentar a cooperação, disse Biden.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Grupo Diario de Pernambuco