Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

EUA adverte UE que a Rússia estuda invadir a Ucrânia

Publicado em: 12/11/2021 19:50

 (Foto: Facebook/European Commission)
Foto: Facebook/European Commission
Nesta sexta-feira (12), de acordo com publicação da agência Bloomberg, os Estados Unidos alertaram seus aliados da União Européia de que a Rússia pode estar avaliando uma invasão a Ucrânia em meio ao crescente aumento das tensões entre o bloco e Moscou por causa das crises energética e dos migrantes. "Acredita-se que as avaliações são baseadas em informações que os Estados Unidos ainda não compartilharam com os governos europeus, o que teria de acontecer antes de ser tomada qualquer decisão sobre uma resposta coletiva. Mas as preocupações e avaliações dos EUA são comprovadas por evidências disponíveis ao público", segundo fontes citadas pela mídia.  

No entanto, uma fonte da agência também ressaltou que é impossível saber as verdadeiras intenções russas ou prever seus próximos passos.

Por outro lado, uma fonte próxima ligada ao Kremlin garantiu que o governo russo não pretende desencadear uma guerra com a Ucrânia, porém deve mostrar que está pronta a usar a força se for preciso.

Em contrapartida, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia negou por diversas vezes as recentes notícias da mídia ocidental de que a Rússia estaria aumentando seu contingente militar na fronteira com o país ucraniano. Mas o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, enfatizou que Moscou mantém presença das tropas militares em seu território onde considera necessário.








Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Grupo Diario de Pernambuco