Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PONTUALIDADE

Condutor de trem japonês atrasa 1 minuto e é multado em US$ 0,50

Por: AFP

Publicado em: 11/11/2021 10:35

 (Foto: Aline Banzato, Antoine Bouthier / AFPTV / AFP)
Foto: Aline Banzato, Antoine Bouthier / AFPTV / AFP
Um condutor de trem japonês denunciou seu empregador por ter-lhe imposto uma multa de 56 ienes (US$ 0,50) de seu salário após um atraso de apenas um minuto no pontual sistema ferroviário do Japão - disse a empresa nesta quinta-feira (11).

O maquinista entrou com uma ação contra a West Japan Railway no início deste ano e pede uma indenização de 2,2 milhões de ienes (US$ 19.470) pela angústia mental causada por essa experiência, de acordo com o jornal Yomiuri Shimbun.

Em junho de 2020, o condutor tinha de mover um trem vazio para um estacionamento na estação de Okayama (oeste do Japão), mas se enganou de plataforma. Isso atrasou a troca de maquinista e fez o trem sair e chegar ao seu destino um minuto depois do planejado, acrescentou o jornal.

Um porta-voz da West Japan Railway confirmou a ação judicial à AFP na quinta-feira, mas não quis comentar, porque "o processo está em curso".

"A razão pela qual isso se tornou uma ação é se deve às diferenças sobre como interpretar" a causa do atraso, disse o porta-voz.

O sistema ferroviário do Japão é conhecido mundialmente por sua eficiência e pontualidade, com frequência citado como exemplo para outros países.

Em 2017, um operador ferroviário local protagonizou as manchetes internacionais, após emitir um pedido de desculpas pelo "tremendo inconveniente" causado por um trem saindo 20 segundos mais cedo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Grupo Diario de Pernambuco