Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

ARTE

Obra autodestruída de Banksy é vendida por 18,6 milhões de libras, um recorde para o artista

Por: AFP

Publicado em: 14/10/2021 18:09

 (Foto: Tolga Akmen / AFP

)
Foto: Tolga Akmen / AFP
O quadro "Menina com Balão" de Banksy, que foi parcialmente autodestruído em um leilão em Londres há três anos, foi vendido nesta quinta-feira (14) por 18,6 milhões de libras (25,4 milhões de dólares, 21,8 milhões de euros), um recorde para o artista britânico.

Esse valor é entre quatro e seis vezes mais elevado do que o preço pago na primeira venda por um colecionador anônimo em 2018.

A obra, rebatizada de "Love is in the Bin", superou o último recorde alcançado em março por "Game Changer", um quadro em homenagem aos profissionais da saúde na pandemia de coronavírus, que foi vendido na Christie's por 16,75 milhões de libras (22,9 milhões de dólares, 19,5 milhões de euros).

O famoso artista de rua, cuja identidade permanece um mistério, surpreendeu o mundo naquele leilão, também na Sotheby's de Londres. 

Assim que o martelo foi batido ao lance mais elevado, um mecanismo escondido na moldura destruiu a parte inferior da tela, que representa uma menina soltando um balão em forma de coração.

Agora, apenas o balão permanece em um fundo branco. Com esta ação, Banksy afirmou que desejava denunciar a "mercantilização" da arte, embora, no final, os restos de sua obra provavelmente serão revalorizados.

Em seu comunicado anunciando a venda, a Sotheby's descreveu a destruição como o "acontecimento" artístico mais espetacular do século XXI, enquadrado "na herança da arte contracultural que começou com o dadaísmo e Marcel Duchamp".

"Durante aquela noite surrealista de três anos atrás, acidentalmente me tornei o dono privilegiado de 'Amor está no lixo' (...) mas é hora de me separar", declarou o comprador anônimo, citado em nota da Sotheby's. 

"Menina com balão" apareceu pela primeira vez em 2002 e se transformou em "uma espécie de leitmotiv" para Banksy e em "uma obra muito apreciada", disse à AFP Katharine Arnold, curadora da Christie's para arte contemporânea e do pós-guerra na Europa. 

Banksy se tornou mundialmente conhecido por suas obras pintadas às escondidas em paredes de edifícios em vários países. 

O artista urbano gosta de provocar e conscientizar através de sua arte, e já abordou temas como o Brexit e a imigração. Até o momento, sua identidade permanece desconhecida, mas sabe-se que ele é originário da cidade de Bristol, na Inglaterra.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Manhã na Clube: ex-ministro Roberto Freire, dr. Cláudio Falcão e o advogado Pedro Avelino
Chama dos Jogos de Inverno é acesa
Grupo Diario de Pernambuco