Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

PARLAMENTO

Novo premiê do Japão convoca eleições antecipadas

Publicado em: 05/10/2021 07:27

 (Foto: Stanislav Kogiku/AFP)
Foto: Stanislav Kogiku/AFP
Confirmado pelo Parlamento do Japão como novo primeiro-ministro do país, o moderado Fumio Kishida prometeu, em seu primeiro discurso, adotar medidas para estimular o crescimento e combater a desigualdade. Também anunciou a antecipação das eleições gerais, que seriam realizadas em novembro, para o próximo dia 31. O gabinete de Kishida terá veteranos e caras novas, mas, segundo analistas, o governo será de continuidade.

Integrante de uma família política de Hiroshima, o novo premiê recebeu 311 votos na Câmara Baixa do Parlamento, contra 124 para o principal líder da oposição, Yukio Edano. O Senado escolheu o novo primeiro-ministro com 141 votos — o adversário recebeu 65.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, parabenizou o novo primeiro-ministro, assinalando que a “aliança histórica” entre os dois países continuará. O líder americano classificou a parceria como “a pedra angular da paz, segurança e prosperidade no Indo-Pacífico e no mundo”.

A eleição de Kishida, 64 anos, aconteceu depois que Yoshihide Suga, que apresentou sua renúncia ontem, anunciou que não disputaria novamente o posto de líder do Partido Liberal Democrático (PLD). Suga passou apenas um ano no cargo. A popularidade de seu governo caiu muito durante os meses de luta para conter as ondas de contágios da Covid-19, incluindo um foco recorde durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho.

Desafios
No pronunciamento inaugural, Kishida enfatizou sua “determinação e resolução firme” para enfrentar os muitos desafios que o esperam. Entre as missões figuram tentar conduzir a economia no período pós-pandemia e lidar coma as ameaças militares da Coreia do Norte e China.

Em relação às eleições, analistas preveem que o partido do governo e seus sócios na coalizão devem manter o poder, mas podem perder algumas cadeiras no Parlamento devido ao descontentamento geral com a resposta do governo à crise sanitária.

Em uma coletiva de imprensa, Kishida disse que o enfrentamento à Covid-19 continuará sendo a “primeira prioridade”. Declarando-se como “o novo apóstolo do capitalismo”, ele também prometeu medidas para estimular o crescimento e melhorar a distribuição das riquezas.

Com 21 intgrantes e idade média de 61,8 anos, o novo governo representa uma certa continuidade com o gabinete de Suga, sob a influência das duas grandes correntes do PLD: a liderada pelo ex-primeiro-ministro Shinzo Abe e a do ex-ministro das Finanças Taro Aso. O apoio dos deputados dessas duas alas foi decisivo para a vitória de Kishida nas eleições internas do partido na semana passada.

O novo ministro das Finanças, Shunichi Suzuki, é cunhado de Taro Aso e integra sua ala dentro do PLD. Toshimitsu Motegi permanecerá à frente da diplomacia nipônica, assim como Nobuo Kishi continuará no comando do Ministério da Defesa. Kishi é o irmão mais novo de Shinzo Abe. Hirokazu Matsuno, ex-ministro e membro da ala de Abe, foi nomeado para o cargo crucial de secretário-geral do governo.

Apenas três mulheres entraram para o governo, incluindo Seiko Noda, que ficou em quarto lugar nas eleições internas do PLD. Ela vai comandar a luta contra a baixa natalidade e as desigualdades entre homens e mulheres.

O gabinete também tem novidades, como a criação do Ministério da Segurança Econômica, um reflexo da preocupação das autoridades japonesas com a concorrência tecnológica chinesa.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
Grupo Diario de Pernambuco