Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

ESTADOS UNIDOS

Em rara visita ao Congresso, Biden pede união para salvar agenda econômica

Publicado em: 02/10/2021 09:42

O presidente se reúne com a bancada democrata para tentar destravar a aprovação de projetos de infraestrutura (JIM WATSON / AFP)
O presidente se reúne com a bancada democrata para tentar destravar a aprovação de projetos de infraestrutura (JIM WATSON / AFP)
Divergências entre a ala moderada e o restante do Partido Democrata colocam em risco a agenda da Casa Branca no Legislativo e ameaçam deflagrar uma crise na política doméstica do governo Joe Biden. Na tentativa de unificar a bancada no Congresso, Biden visitou o Capitólio, na tarde de ontem.

Depois de ser recepcionado pela presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, ele se reuniu com os legisladores aliados para destravar o impasse em torno da votação de um projeto de lei bipartidário sobre infraestrutura, o qual prevê investimentos de US$ 1 trilhão (cerca de R$ 5,37 trilhões).

Deputados progressistas impõem resistência por considerarem prioridade um segundo projeto de lei, que dispõe US$ 3,5 trilhões (ou R$ 18,7 bilhões) para saúde, educação, mudanças climáticas e licença remunerada. As reformas de Biden tinham sido bloqueadas no Legislativo. Pelosi adiou uma votação na quinta-feira e, antes do encontro com o presidente, tinha prometido que a Câmara apreciaria o projeto ainda ontem.

Na iminência de colapso político da agenda econômica da Casa Branca, Biden pediu aos democratas centristas e aos liberais que tenham paciência e trabalhem nos bastidores pela aprovação do projetos. “Digo a vocês: nós conseguiremos isso. Não importa quando. Não importa se em seis minutos, seis dias ou seis semanas. Nós faremos isso”, assegurou o presidente norte-americano, ao fim do encontro de 40 minutos com congressistas do partido. A intervenção de Biden, durante a rara visita ao Congresso, parece ter desincumbido os congressistas de trabalharem com pressa na aprovação.

James Naylor Green — historiador e brasilianista da Universidade Brown (Rhode Island) — explicou ao Correio que o texto de US$ 3,5 trilhões busca abordar temas sociais, como a gratuidade dos dois primeiros anos na universidade, a oferta de vagas em creches e outras medidas para expandir o Estado de bem-estar social. “O projeto de US$ 1 trilhão foi aprovado pelo consenso de 60 senadores, incluindo 11 republicanos. Na Câmara, os progressistas, legisladores mais de esquerda, consideram impossível a aprovação do projeto de US$ 1 tri sem a garantia do aval ao segundo texto”, comentou. “No fim das contas, creio que teremos a aprovação dos dois projetos de lei. Isso mostrará a unidade dentro do Partido Democrata, ante a grande variação na ideologia dos vários segmentos que fazem parte da legenda.”

Corrosão
Professor de história e política social da Universidade de Harvard, Alex Keyssar afirmou à reportagem que, se Biden falhar em apaziguar as fileiras do Partido Democrata, sua posição de líder poderá sofrer uma corrosão. “Mas seria um dano apenas temporário”, prevê. “Sobre a visita de Biden ao Congresso, não é algo tão incomum. Nos Estados Unidos, o presidente costuma tomar essa atitude para reforçar o quão pensa ser importante uma votação específica.”

Peter Diamond, professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e Prêmio Nobel de Economia em 2010, disse ao Correio que existe amplo espaço para o aumento de impostos capazes de cobrir grande parte ou a totalidade dos gastos previstos pela reforma econômica de Biden, ao longo da próxima década. “Os cortes excessivos de impostos deveriam ser revertidos, e a estrutura tributária precisa ser revista e reparada”, defendeu.

Até o fechamento desta edição, não havia uma definição sobre o cronograma de votação dos dois textos do pacote de infraestrutura. Pelosi mostrou otimismo e, em uma publicação no Twitter, se disse “honrada em receber o presidente dos Estados Unidos”. “Juntos, nós vamos #BuildBackBetter (‘Reconstruir melhor’, o nome dos projetos de lei) para o povo norte-americano”, escreveu a democrata, ao divulgar duas fotos ao lado de Biden. Keyssar disse esperar que “alguma versão dos projetos” deverá ser aprovada na próxima semana.

O racha da bancada democrata no Congresso é mais um capítulo no turbulento primeiro ano do governo Biden. Em 255 dias de gestão, o presidente contabiliza polêmicas e reveses no cenário externo, com a aceleração da retirada militar do Afeganistão e a crise diplomática com a França provocada pela desistência em um acordo para a venda de submarinos.

“Depois de 40 anos de investimentos inadequados em infraestrutura, em apoio ao potencial humano, e na abordagem das mudanças climáticas, a oportunidade para os Estados Unidos darem um pontapé importante nessas três áreas não pode ser desperdiçada.” Peter Diamond, professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e Prêmio Nobel de Economia em 2010.

“O projeto de lei sobre infraestrutura é viável e conta com amplo apoio. O pacote maior dele tem vários programas e peças (mudanças climáticas, atenção às crianças, etc) reunidos. É uma maneira de o texto ser aprovado pelo Senado por meio de um processo de reconciliação.” Alex Keyssar, professor de história e política social da Universidade de Harvard.

“A visita de Biden ao Capitólio é um símbolo excelente de sua ambição maior: reunir todos os americanos razoáveis contra o extremismo de direita. Na verdade, ele falhou em administrar uma crise no Partido Democrata e fracassará em implementar as reformas abrangentes de que o país precisa para sair da atual crise econômica.” Bruce Ackerman, professor de direito e ciência política da Universidade de Yale.

“Creio que Biden conseguirá a aprovação dos projetos de lei. Os democratas sabem que, se não conseguirem resultados concretos, correm risco de perder a grande maioria na Câmara e no Senado. Quando você tem maioria, detém o poder. Quando é minoria, não tem poder nenhum no Congresso.” James Naylor Green, historiador da Universidade Brown (Rhode Island).
TAGS: política | eua | congresso | biden |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
Grupo Diario de Pernambuco