Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

MEIO-AMBIENTE

Após breve pausa, vulcão das Canárias volta a expelir cinzas

Por: AFP

Publicado em: 27/09/2021 16:21

 (Foto: Desiree Martin/AFP)
Foto: Desiree Martin/AFP
Depois de um breve intervalo pela manhã, o vulcão 'Cumbre Vieja' voltou a expelir cinzas nesta segunda-feira (27), na ilha espanhola de La Palma, onde vários bairros foram confinados para proteger os moradores da possível chegada da lava ao mar, após oito dias de erupção.

Durante a manhã, o vulcão havia reduzido "consideravelmente" sua atividade, de acordo com especialistas, mas a trégua durou pouco. 

Depois do meio-dia (hora local), o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan) publicou duas fotografias da enorme coluna negra que se eleva sobre a cratera, e descreveu: "Imagens das emissões de cinzas que estão sendo observadas nas últimas horas". 

O centro também confirmou para a AFP que o Cumbre Vieja está expelindo cinzas de novo. 

Mais cedo, por algumas horas, o vulcão parou de jorrar lava e cinzas, clareando o céu sobre esta ilha atlântica de 85.000 habitantes. 

O vulcão conjuga "pulsos de explosões e pausas" há algum tempo, disse o o porta-voz do Involcan, David Calvo, à AFP, acrescentando que, apesar da retomada das emissões, sua atividade "diminuiu em relação aos dias anteriores". 

Nesta mesma linha, em mensagem divulgada mais cedo no Twitter, o Instituto de Geociências de Madri já havia afirmado que "a atividade se reduziu consideravelmente nas últimas horas em La Palma". Junto, publicou um gráfico que mostrava a queda da atividade.

"É preciso ficar muito atento à sua evolução, porque o cenário pode mudar rapidamente", alertou o órgão espanhol.

Bairros confinados
Nodomingo à noite, as autoridades ordenaram o confinamento dos habitantes de vários bairros do município de Tazacorte para protegê-los da possível chegada ao mar da lava do vulcão. Este contato é preocupante, porque pode emanar gases tóxicos.

Inicialmente, a chegada da lava ao mar era esperada para acontecer no começo da semana passada, mas depois foi adiada pela desaceleração de seu próprio fluxo.

Os especialistas temem os efeitos do encontro do magma incandescente com a água. Esta convergência pode gerar um choque térmico que levaria à formação de colunas de vapor d'água carregadas de ácido clorídrico.

Os fluxos de lava estão agora entre 800 metros e um quilômetro da costae avançam em linha reta, segundo autoridades.

No aeroporto de La Palma, que fechou no sábado, a empresa Binter pretendia retomar as operações na segunda-feira, mas acabou desistindo.

“Paralisamos novamente a operação com La Palma depois de tentar fazer um primeiro voo hoje e verificar que as condições de segurança necessárias não são atendidas”, disse a empresa no Twitter, onde anunciou que tentará novamente na terça-feira “se as autoridades confirmarem que as condições são favoráveis".

Até a presente data, a erupção do Cumbre Vieja não deixou vítimas, mas causou graves danos materiais. Também forçou o deslocamento de mais de 6.000 pessoas, que tiveram de deixar suas casas, muitas vezes, às pressas.

Os fluxos incandescentes de magma cinza e laranja engoliram mais de 500 edifícios. A lava já cobre mais de 237 hectares, incluindo várias plantações de banana, de acordo com dados do sistema europeu de medição geoespacial Copernicus.

As duas erupções anteriores em La Palma ocorreram em 1949 e 1971. Ao todo, três pessoas morreram, duas delas por inalação de gases.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Grupo Diario de Pernambuco