Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

Milhões sofrem com outra onda de calor nos EUA e Canadá

Por: AFP

Publicado em: 11/07/2021 18:51 | Atualizado em: 11/07/2021 18:58

 (Foto: Patrick T. FALLON / AFP)
Foto: Patrick T. FALLON / AFP
Milhões de pessoas no oeste dos Estados Unidos e do Canadá foram atingidos por uma nova onda de altas temperaturas neste domingo (11), com estradas fechadas, tráfego ferroviário limitado e ordens de evacuação.

No Canadá, onde os incêndios florestais continuam a se espalhar com mais 50 focos declarados nos últimos dois dias, o governo anunciou novas medidas emergenciais para prevenir o fogo.

O termômetro subiu neste fim de semana em grande parte da costa do Pacífico e no interior até a borda oeste das Montanhas Rochosas.

"Uma onda de calor perigosa afetará grande parte do oeste dos Estados Unidos, com temperaturas provavelmente recordes", disse o Serviço Meteorológico Nacional (NWS) neste domingo, enquanto meteorologistas canadenses prevêem máximas próximas a 32 ºC em partes do oeste do país, bem acima dos padrões sazonais.

De acordo com o NWS, Las Vegas igualou seu recorde histórico ao alcançar 47,2 ºC, uma marca registrada pela primeira vez em 1942 e três vezes desde 2005.

Os meteorologistas emitiram um boletim de alerta para a área metropolitana, bem como vários outros centros urbanos, incluindo Phoenix (sul) e San José, no Vale do Silício, não muito longe de São Francisco.

"Mais de 30 milhões de pessoas permanecem sob alerta de calor extremo ou alerta de calor", disse o NWS no sábado, acrescentando que as perigosas altas temperaturas e secas devem continuar.

Essa nova onda de calor chega menos de três semanas após outra que atingiu o oeste dos Estados Unidos e o Canadá no final de junho, com altas temperaturas recordes por três dias consecutivos na província canadense da Columbia Britânica.

As condições desta onda fizeram com que o recorde histórico de altas temperaturas fosse quebrado por três dias consecutivos nesta província. 

298 incêndios
O ministro canadense dos Transportes, Omar Alghabra, anunciou neste domingo novas medidas de emergência para evitar incêndios florestais na região, incluindo a desaceleração e limitação do tráfego ferroviário. 

Os trens são uma das causas comuns de incêndios florestais, geralmente devido à falta de manutenção de seus dispositivos anti-centelhas. 

Várias estradas e rodovias na área da Colúmbia Britânica foram fechadas porque o governo classificou o risco de incêndio florestal como "extremo". Uma dúzia de cidades e vilas seguem sob ordens de evacuação. 

O governo canadense enviou investigadores à cidade de Lytton, 250 km a nordeste de Vancouver, para verificar se a passagem de um trem de carga poderia ter causado o incêndio que destruiu 90% da cidade no final de junho.

Na manhã de domingo, o número de incêndios florestais na Columbia Britânica continuou a aumentar, chegando a 298, de acordo com as autoridades.

O mês passado foi o junho mais quente já registrado na América do Norte, de acordo com dados divulgados pelo serviço de monitoramento do clima da União Europeia.

Até agora, a atividade humana causou um aumento da temperatura global de cerca de 1,1ºC, o que resultou em tempestades mais destrutivas, ondas de calor mais intensas, secas e aumento de incêndios florestais.

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM) e o Serviço Meteorológico Britânico, há 40% de chance de que a temperatura média global anual ultrapasse temporariamente 1,5 grau acima das temperaturas pré-industriais nos próximos cinco anos.

Os últimos seis anos até 2020 são os seis anos mais quentes já registrados.
TAGS: onda de calor | calor | eua | canada |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
EUA planejam abrir fronteiras para vacinados
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Doriel Barros (PT), Fernando Murta e Elmo Santos
Homem com granada mobiliza polícia de Kiev
Manhã na Clube: entrevistas com Eduardo Leite (PSDB),  Sérgio Montenegro e Joaquim Francisco
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco