Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

INCÊNDIO

Incêndio mata quatro pessoas em Chipre

Por: AFP

Publicado em: 04/07/2021 09:29 | Atualizado em: 04/07/2021 10:00

 ( AFP)
AFP

Quatro pessoas morreram num grande incêndio que assola a floresta de Troodos, na ilha de Chipre, anunciaram neste domingo (4) as autoridades, com o presidente citando um dos piores desastres da história recente do país.

O incêndio, que começou no sábado (3) ao norte da cidade portuária de Limassol, atingiu o flanco sul do maciço, principal área verde deste pequeno país da União Europeia.

Os bombeiros conseguiram controlar as chamas esta manhã, mas temem novos focos devido aos ventos mais fortes no final do dia.

Quatro corpos carbonizados foram encontrados perto do vilarejo de Odos, no distrito de Larnaca, disse o ministro do Interior, Nicos Nouris, a repórteres.

Os corpos estão sendo identificados, disse ele, acrescentando que podem ser de quatro egípcios desaparecidos desde sábado. Segundo o jornal Phileleftheros, os corpos foram encontrados a 400 metros de um veículo carbonizado.

O ministério das Relações Exteriores do Egito confirmou horas depois que se trata de quatro trabalhadores egípcios.

Um homem de 67 anos, suspeito de ter causado o incêndio, foi preso. Uma testemunha supostamente o viu saindo do local em seu carro quando o incêndio começou, afirmou a polícia, acrescentando que ele também pode enfrentar acusações de homicídio culposo pelas mortes dos quatro egípcios.

Localizado no Mediterrâneo, Chipre experimenta incêndios florestais frequentes durante o longo período de seca de verão, que tradicionalmente vai de junho a outubro, com temperaturas escaldantes.

O presidente Nikos Anastasiades visitou esta manhã o centro de gerenciamento de crise no vilarejo de Vavatsinia, localizado a poucos quilômetros do incêndio, antes de ir para áreas devastadas pelas chamas.

"Mais de 55 quilômetros quadrados" foram devastados, disse ele a repórteres, alertando para a possibilidade de novos incêndios.

"A situação está parcialmente controlada. O que nos preocupa é um aumento da força dos ventos à tarde", acrescentou.

Este incêndio "é o maior registado na ilha desde 1974", data da divisão da ilha após a invasão da parte norte pelo exército turco em reação a um golpe de nacionalistas gregos-cipriotas que queriam reconectá-la à Grécia, escreveu Anastasiades no Twitter, referindo-se a "uma tragédia".

"Vidas, propriedades, terras e florestas foram perdidas. O governo vai ajudar imediatamente as vítimas e seus familiares", prometeu.

Bombeiros foram mobilizados ao longo da estrada para Vavatsinia e vários helicópteros sobrevoam perto do incêndio.

No vilarejo de Ora, várias casas foram carbonizadas, observou uma jornalista da AFP no local.

Em áreas onde o fogo foi controlado, troncos de árvores carbonizados cambaleiam sobre um leito de cinzas e, nas encostas, o cinza substituiu o amarelo da grama seca até onde a vista alcança.

Muitas oliveiras, emblemáticas da ilha mediterrânea, não são mais do que esqueletos e brasas ainda fumegantes eram visíveis da estrada.

Perante a dimensão da catástrofe, as autoridades cipriotas lançaram um apelo de ajuda internacional na noite de sábado, ao qual a Grécia e a Itália responderam no âmbito do mecanismo europeu de ajuda de emergência, com o envio de quatro Canadairs.

Dois outros aviões de Israel, cujas costas estão a mais de 200 quilômetros da ilha, devem pousar à tarde, com uma equipe de 15 membros e quatro pilotos.

Sábado à noite, mais de 20 veículos dos bombeiros, seis helicópteros e quatro aviões já estavam mobilizados, bem como membros das tropas britânicas estacionadas em bases do Reino Unido na ilha.

Várias aldeias foram evacuadas como precaução.

A ilha mediterrânea tem enfrentado um aumento persistente das temperaturas e episódios cada vez mais severos de seca desde o final do século XX.

Nos últimos dias, as temperaturas ultrapassaram em muito os 40 graus no interior da ilha.


Por Valentine GRAVELEAU / avec Charlie CHARALAMBOUS à Larnaca

bur-cc/gk-mdz/hj/mr

© Agence France-Presse
TAGS: incêndio | chipre |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Chico Kiko, Diego Pascaretta e Rômulo Saraiva
Domitila, artivista e recifense que está entre as selecionadas do Miss Alemanha 2021
Terceira dose de vacina anticovid começa a ser aplicada em Israel para aumentar imunidade
Manhã na Clube: entrevistas com coronel Luiz Meira (PTB), Regina Sales e Maria Dulce
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco