Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

"DOUTRINA MITTERRAND"

Ex-membro das Brigadas Vermelhas é preso na França a pedido da Itália

Por: AFP

Publicado em: 19/07/2021 11:33

 (Foto: JEAN-CHRISTOPHE VERHAEGEN / AFP)
Foto: JEAN-CHRISTOPHE VERHAEGEN / AFP
Um ex-membro das Brigadas Vermelhas instalado na França desde os anos 1990 foi preso, nesta segunda-feira (19/7), a pedido das autoridades italianas, que reivindicam sua extradição em virtude de uma condenação por tentativa de sequestro terrorista em 1982 - informaram fontes judiciais francesas à AFP.

Maurizio di Marzio, de 61 anos, foi o único que escapou da execução, no final de abril, de mandados de prisão expedidos pela Itália contra dez ex-militantes deste grupo de extrema esquerda.

Eles são reclamados por Roma pela condenação por seu envolvimento, algo que muitos questionam, em atentados cometidos em seu país nos anos 1970 e 1980.

Di Marzio foi colocado em detenção judicial nesta segunda. Deve comparecer, dentro de 48 horas, ao tribunal de apelação de Paris, instância encarregada de decidir entre sua possível prisão provisória, ou a libertação sob controle judicial, enquanto sua extradição é analisada.

Durante muito tempo, a França serviu de refúgio para membros das Brigadas Vermelhas, devido a uma política adotada pelo então presidente socialista François Mitterrand, que causou tensões com Roma.

Implementada em 1985, a chamada "Doutrina Mitterrand" oferecia asilo aos extremistas, desde que renunciassem à violência e não fossem procurados na Itália por assassinato, ou por outros "crimes de sangue".

A decisão do atual presidente, Emmanuel Macron, de romper com essa política constitui uma guinada histórica e foi saudada pela Itália.

Grupos de extrema esquerda, como as Brigadas Vermelhas, atuaram na Itália durante o período conhecido como "Anos de Chumbo", do final dos anos 1960 até meados dos anos 1980.

As Brigadas Vermelhas eram o grupo mais conhecido. Atribui-se a elas a autoria de centenas de assassinatos, incluindo o sequestro e assassinato do líder democrata-cristão e ex-primeiro-ministro Aldo Moro, em 1978.
TAGS: roma | prisão | frança |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Terceira dose de vacina anticovid começa a ser aplicada em Israel para aumentar imunidade
Manhã na Clube: entrevistas com coronel Luiz Meira (PTB), Regina Sales e Maria Dulce
Manhã na Clube: entrevistas com José Maria Eymael, Rodrigo Floro e Chico Kiko (PP)
Leão se afasta de parque onde vive solto e assusta moradores de cidade africana
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco