Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

URÂNIO

Agência Internacional de Energia Atômica diz que Irã pretende aumentar produção de urânio

Publicado em: 08/07/2021 13:44

 (Foto: Paul Zinken/AFP
)
Foto: Paul Zinken/AFP
De acordo com o último relatório do diretor-geral da Agência Internacional de Energia
Atômica (AIEA), Rafael Grossi, encaminhado ao conselho de diretores do órgão o Irã
possuí a intenção de utilizar 20% de urânio enriquecido na produção de combustível
para um reator de pesquisa científica em Teerã. "O Irã também produzirá urânio
metálico enriquecido ao nível de 20%";, relatou Grossi. Além disso, diretor-geral do
AIEA também comunicou que o Irã notificou a AIEA horas antes que 20% de óxido de
urânio enriquecido fossem entregue a um laboratório em uma fábrica de Isfahan, onde
seria convertido em fluoreto de urânio, e depois em 20% de urânio enriquecido.
 
O Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e França já manifestaram sua insatisfação
com a decisão. "O Irã não tem nenhuma necessidade civil confiável de pesquisa,
desenvolvimento e produção de urânio metálico, que são um passo fundamental no
desenvolvimento de uma arma nuclear. Exortamos fortemente o Irã a suspender sem
demora todas as atividades em violação ao JCPOA, e a voltar às negociações em Viena
com o objetivo de levá-las a uma rápida conclusão", expressaram os três países em uma declaração conjunta emitida pelo Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido.
 
Os Estados Unidos também emitiram uma declaração sobre o assunto. "Temos visto
reportagens da mídia que caracterizam este documento sobre enriquecimento de
urânio. É preocupante que o Irã esteja optando por continuar a escalada";, disse Ned
Price, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA.
 
Já o representante permanente da Rússia junto a organizações internacionais em Viena,
na Áustria, Mikhail Ulyanov, declarou que as negociações do acordo nuclear com o Irã
devem ser retomadas sem demora. “A única maneira de sair deste círculo vicioso é
retomar os diálogos de Viena sem demora, e restaurar completamente o JCPOA”,
apontou Ulyanov.

O Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), ou acordo nuclear
iraniano, foi assinado em 2015 pelo país persa e seis mediadores internacionais, que
impôs várias limitações ao programa nuclear da República Islâmica em troca do
cancelamento das sanções internacionais. Em maio de 2018, os EUA abandonaram o
acordo e iniciaram a imposição de sanções unilaterais contra o Irã, argumentando que o
governo iraniano permanecia desenvolvendo armas nucleares. Como resposta, em 2019,
Teerã começou a reduzir gradualmente seus compromissos com o JCPOA.
 
A capital da Áustria que tem sediado desde o início de abril deste ano reuniões da
Comissão Mista da JCPOA objetiva restaurar o pacto, além de grupos de trabalho que
elaboram medidas concretas a serem tomadas pelos EUA e o Irã para cumprir o acordo.
A sexta rodada de consultas foi realizada entre 12 e 20 de junho, e o início da sétima
ainda não foi programada.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Homem com granada mobiliza polícia de Kiev
Manhã na Clube: entrevistas com Eduardo Leite (PSDB),  Sérgio Montenegro e Joaquim Francisco
Bolsonaro investigado: Não aceitarei intimidação
Manhã na Clube: entrevistas com prefeito João Neto (PL), dra Tamires Sales e advogado Rômulo Saraiva
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco