Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

ALERTA VERMELHO

Irã pede a Interpol à prisão dos suspeitos pela morte de Fakhrizadeh

Publicado em: 11/01/2021 14:35

 (Foto: Tasnim News Agency via Wikiedmedia Commons)
Foto: Tasnim News Agency via Wikiedmedia Commons
Nesta segunda-feira (11), durante uma entrevista coletiva, o porta-voz da polícia iraniana Mehdi Hajian declarou que o Irã solicitou à Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol, sigla em inglês) que emita imediatamente um alerta vermelho para a detenção de quatro pessoas que estariam supostamente envolvidas no assassinato do principal cientista nuclear iraniano, Mohsen Fakhrizadeh. "Um pedido de emissão de notificação vermelha foi apresentado à Interpol em relação a quatro dos perpetradores do assassinato do mártir Fakhrizadeh", afirmou Hajian. 

O físico nuclear Mohsen Fakhrizadeh comandava o Centro de Pesquisa e Inovação do Ministério da Defesa iraniano e foi assassinado a tiros em novembro do ano passado enquanto estava em um comboio de carros na cidade de Absard, no norte do país. Na ocasião da morte de Fakhrizadeh, o ministro das Relações Exteriores iraniano, Javad Zarif, classificou o ataque como "covarde ato terrorista" e o vinculou a uma conspiração dos Estados Unidos, Israel e Arábia Saudita.

Também logo depois do assassinato do conceituado cientista, o Parlamento do Irã aprovou uma lei que permite a retomada das atividades nucleares do país. E já na semana passada o porta-voz do governo iraniano, Ali Rabeie, anunciou que foi dada autorização para o aumento na produção do enriquecimento de urânio a 20% em sua instalação nuclear subterrânea de Fordow. O comunicado do governo iraniano ocorreu após a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) ter divulgado que Teerã lhe encaminhou um documento no qual citava os planos de elevar a produção de energia nuclear.

Em contrapartida, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu se pronunciou sobre a medida e disse em sua rede social que a ação demonstrou a intenção do Irã de seguir desenvolvendo seu programa nuclear militar. "A decisão do Irã de seguir violando seus compromissos, aumentando o nível de enriquecimento de urânio e desenvolvendo a capacidade industrial para enriquecimento subterrâneo não pode ser explicada de outra forma a não ser para realização de sua intenção de desenvolver o programa nuclear militar. Israel não permitirá que o Irã produza armamento nuclear", comunicou o primeiro ministro de Israel.
 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 18/01
Vacinação começa na quarta-feira, garante Ministério da Saúde
Enem 2020: professores do Colégio Núcleo comentam ao vivo as provas deste domingo
Enem em plena pandemia vira desafio em dobro para estudantes
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco